Barcos se despede do Grêmio e diz que um dia vai retornar

Atacante foi negociado com o Changchun Yatai-CHN, por 3 milhões de dólares (R$8 mi) e vai receber um salário milionário

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Barcos acredita que o Grêmio ainda pode conquistar o título brasileiro
Lucas Uebel/Grêmio
Barcos acredita que o Grêmio ainda pode conquistar o título brasileiro

Após acertar a transferência para o Changchun Yatai-CHN, o centroavante argentino, Hernán Barcos, se despediu oficialmente do Grêmio e dos torcedores, nesta terça-feira, no estádio do clube, em Porto Alegre. O jogador justificou que a decisão de sair não foi apenas para atingir a independência financeira, mas também para ajudar nas finanças do clube gaúcho

“Hoje é o dia mais difícil da minha carreira, o dia de pronunciar a minha saída do Grêmio. Falei com o presidente sobre a minha renovação e a ideia era renovar. Mas surgiu uma oferta importante para o Grêmio e para mim. O presidente falou a sua parte, o que achava e o que tem preparado para o Grêmio na sua gestão. Ele quer manter o Grêmio no lugar que merece e isso é cortar a folha e muitas outras coisas. Mas eu entendi a mensagem do Grêmio, a situação financeira do clube, a necessidade de dinheiro que o clube tem hoje”, disse o argentino.

O centroavante é outro jogador que deixará o Brasil por propostas irrecusáveis do futebol chinês. No Changchun, o Pirata tem salário estimado em R$1,3 mi, quase o dobro do que recebe atualmente. Além do argentino, o atacante Diego Tardelli, ex-Atlético e o meia Ricardo Goulart, ex-Cruzeiro também se transferiram para o futebol chinês pelo mesmo motivo.

Na sua despedida, Barcos falou que a sua intenção era ficar por muitos anos no time gaúcho, e que espera um dia retornar. 

“Se o Grêmio estivesse em uma situação normal, eu assinaria até me aposentar no Grêmio. Mas hoje é outra coisa. Espero que seja um até logo”, ressaltou.

Barcos foi vendido ao Changchun Yatai por 3 milhões de dólares (R$ 8 mi) e fechou contrato de dois anos com a equipe chinesa.