Nepomuceno revela meta para 2015: "quero o Mundial"

Durante o bate-papo com jornalistas de O TEMPO, presidente do Galo destacou a ambição que move sua gestão

iG Minas Gerais | CÂNDIDO HENRIQUE SILVA, FELIPE RIBEIRO, THIAGO NOGUEIRA E FERNANDO ALMEIDA |

Esportes - Do dia - Contagem MG
Visita a redacao do presidente do time de futebol Clube Atletico Mineiro Galo Daniel Nepomuceno

FOTO: MARIELA GUIMARAES / O TEMPO 2.2.15
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Esportes - Do dia - Contagem MG Visita a redacao do presidente do time de futebol Clube Atletico Mineiro Galo Daniel Nepomuceno FOTO: MARIELA GUIMARAES / O TEMPO 2.2.15

Após conquistar a Libertadores em 2013 e a Copa do Brasil no ano passado, o Atlético está determinado a buscar outros títulos inéditos para sua galeria. Com a confiança de quem espantou a fama de azarão e mostrou do que é capaz, o presidente do Galo, Daniel Nepomuceno, deixou claro que a grande ambição do Alvinegro é ser campeão mundial.

Em entrevista exclusiva a O TEMPO/Super FC, o cartola comentou sobre os planos para esta temporada, depois de dois anos vitoriosos para o Galo, e frisou o sonho do clube, que é também a grande estratégia para atrair o torcedor a abraçar de vez o projeto de sócio.

“Quando eu assumo, eu quero o Mundial. Eu já assumi com uma responsabilidade e um projeto já criado. Eu herdei um projeto muito bom, de um time já classificado para a Libertadores e com um técnico com um currículo espetacular e muito sério, e uma base muito bem montada. Nosso trabalho foi de manter a base do time. É muito mais fácil trabalhar uma base do que um elenco novo”, disse.

A manutenção da base de 2014, com apenas uma mudança no time titular, saindo Tardelli e entrando o argentino Lucas Pratto, colocou o Galo como um dos principais favoritos ao título da Libertadores. Mas, Nepomuceno rechaça qualquer vantagem, ponderando que desta vez o torneio terá um nível mais elevado, com os retornos de times tradicionais como os River Plate e Boca Junirs, além do chileno Colo Colo, que aliás, será adversário do Atlético logo na fase de grupos.

“Eu não acredito em favoritismo. Na Libertadores, os jogos mais fáceis se tornam os mais difíceis. Temos um time competitivo para ganhar uma Libertadores e, depois, o Mundial. Quem viu os treinos dos Atlético, viu que temos os times reservas parecido com o da Libertadores. O nível técnico é muito bom, com todo mundo querendo jogar. Desde que a gente assumiu, o planejamento era manter a base. Vamos fazer um time competitivo, porque queremos entrar nos quatro campeonatos deste ano para vencer todos. E claro que o Mundial é aquele gostinho que falta. A atual Libertadores é diferente, com o nível técnico maior, com uma chave que tem que ficar muito atenta. O desgaste é muito grande, os adversários são muitos distintos. E todo mundo entra, sabendo que o Atlético é um time extremamente competitivo e os times vão se armar para tirar ponto nosso”, frisou.

A estreia do Galo na Libertadores 2015 está marcada para o próximo dia 18 de fevereiro, contra o Colo Colo, em Santiago-CHI.

Leia tudo sobre: atleticogalonepomucenopresidentemundialtitulosonho