Confusão acirra debate sobre horário da folia no Santa Tereza

Irregular. Evento de Carnaval realizado anteontem na praça Duque de Caxias terminou com três baleados

iG Minas Gerais | Aline Diniz e Jhonny Cazetta |

Bloquinhos de Carnaval no bairro Santa Tereza são tradicionais
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Bloquinhos de Carnaval no bairro Santa Tereza são tradicionais

A discussão sobre o horário do término do Carnaval no tradicional bairro Santa Tereza, na região Leste da capital, ficou mais acirrada após uma confusão que terminou com um adolescente e dois homens baleados, anteontem, na praça Duque de Caxias. De um lado, a Associação Comunitária do Bairro Santa Tereza quer que a folia se estenda até as 21h, já a Polícia Militar (PM) é contra e defende a manutenção das 19h, hora-limite do ano passado. Além disso, outros moradores também demonstram insatisfação com o prolongamento da folia.

O presidente da associação, João Bosco Alves Queiroz, relatou que a entidade considera o incidente um fato isolado. “Poderia ter acontecido em qualquer outro bairro. No Rio de Janeiro tem bala perdida com frequência, e nem por isso querem cancelar o Carnaval de rua”, considera. Queiroz informou que levou ontem ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) um abaixo-assinado com cerca de 2.000 nomes pedindo que a festa se encerre às 21h e que as praças do bairro sejam usadas.

O tenente Herbet Feital, subcomandante da 20ª Companhia de Polícia Militar (PM), responsável pela área, disse que a corporação é contra a alteração porque o descanso dos outros moradores precisa ser respeitado e a cobertura dos outros bairros não pode ser afetada. “O 16º Batalhão atende 200 bairros”.

A assessoria de imprensa do MPMG informou à reportagem que a promotora Luciana Ribeira, da promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, vai escutar separadamente as partes envolvidas na questão – prefeitura, moradores e PM – no decorrer dos próximos dias. O objetivo é chegar a uma conclusão sobre o Carnaval de Santa Tereza.

A Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) já solicitou à polícia reforço no efetivo empenhado para a folia na cidade, em especial para Santa Tereza, e aguarda definição da associação dos moradores e do Ministério Público sobre o horário de término da festa.

Crime. Por volta de 23h30 de anteontem, cerca de 2.000 pessoas estavam reunidas na praça Duque de Caxias em um evento não autorizado pela prefeitura nem pela PM. “Estava tudo muito tranquilo até então. Todo mundo se divertindo, só que começaram a atirar do nada”, contou o estudante Carlos Aguiar, 23, que participava da festa. A folia havia sido divulgada pelo Facebook.

Segundo a PM, os tiros teriam como alvo Welington Oliveira Silva, 27, que foi atingido por quatro disparos. Um adolescente de 13 anos, que estava perto da confusão acompanhado de seu tio, ficou ferido na perna. Além dele, o funcionário público Sérgio Emanuel de Oliveira, 21, também foi atingido com dois tiros.

O adolescente e Oliveira foram socorridos por amigos e familiares ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Já Silva, que tentou se esconder dos atiradores, conseguiu correr até o 16º Batalhão, perto da praça, de onde foi levado ao mesmo hospital em estado grave. Segundo Feital, não foi possível identificar os suspeitos dos disparos.

Belotur

Posição. A Belotur informou que nunca houve registro de fatos semelhantes ao de anteontem na agenda oficial do Carnaval de BH. Uma comissão especial se reúne diariamente para planejar a folia na cidade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave