Percussão experimental no VAC

Grupo percussivo Tectum faz seu primeiro concerto amanhã

iG Minas Gerais | lucas buzatti |

Ex-alunos de música da UFMG misturam percussão e eletrônica
Acervo pessoal
Ex-alunos de música da UFMG misturam percussão e eletrônica

Uma saborosa salada musical, temperada por ritmos de percussão e elementos experimentais da música eletrônica. Assim pode ser definida a proposta do grupo percussivo Tectum, que faz sua apresentação de estreia amanhã, às 20h, na Sala Multiuso do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). O concerto integra a programação do 9º Verão Arte Contemporânea (VAC) e terá reprise na quinta-feira, no mesmo horário e local.

Formado em 2014, por cinco amigos, ex-estudantes de música da UFMG, o Tectum mostra seu primeiro espetáculo, “Percussônico”. “Temos muita afinidade, já tínhamos feito vários trabalhos juntos. No ano passado, decidimos nos juntar em um projeto e começamos a trabalhar esse primeiro repertório”, conta Fernando Rocha, um dos integrantes do grupo.

“Percussônico” é destrinchado em três diferentes momentos. “O primeiro e o terceiro são formados por improvisações, criações coletivas, composições nossas. E o segundo é uma peça do compositor carioca Edson Zampronha”, explica Rocha.

Para criar as diferentes camadas sonoras que norteiam o espetáculo, o Tectum utiliza instrumentos tradicionais da percussão brasileira, bem como computadores e sintetizadores. “Cada músico tem um arsenal percussivo e trabalha também com, no mínimo, um laptop. São desde congas, tamborins e bongôs até instrumentos feitos por nós, com garrafas pets, por exemplo”, relaciona o músico.

Além da mistura entre o ancestral e o tecnológico, “Percussônico” também conta com um formato de apresentação diferente do tradicional palco. “Nós ficamos em volta da plateia, com caixas de som. É uma imersão musical, o público é quem fica no centro, conferindo as várias camadas de som que são criadas. Cada hora, o som vem de um lado. E, para isso, tocar em um espaço como a Sala Multiuoso do CCBB facilita bastante”, conta Rocha.

O músico confirma o entusiasmo da banda em fazer a estreia nos palcos justamente em um evento tão diverso como o VAC. “O espetáculo e o evento têm tudo a ver. Fazemos uma música bem contemporânea, que abre espaço para a experimentação e para diferentes tipos de sons. Mas, ao mesmo tempo, a percussão dá uma linguagem mais leve, animada e com muitos ritmos”, ressalta.

Agenda

O QUÊ. “Percussônico”

QUANDO. Amanhã e quinta-feira, às 20h

ONDE. Sala Multiuso do Centro Cultural Banco do Brasil (praça da Liberdade, 450)

QUANTO. R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave