Padecendo por amor a Cristo

iG Minas Gerais |

Muitos não gostam do que Paulo fala a respeito de sofrer por amor a Cristo, “porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele” (Fp 1.29) porque nem todos querem padecer por amor a Cristo; por isso, algumas pessoas sentem vontade de pegar esse versículo e rasgá-lo ou ignorá-lo. No início da fé, num único dia, o imperador romano, Nero, queimou 100 mil cristãos. Ele incendiou Roma e ficou tocando lira enquanto a cidade ardia em chamas. Condenou os cristãos pela tragédia, fazendo deles tochas humanas e jogando-os a cães ferozes. Esses cristãos não tinham a Bíblia como temos hoje, não tinham televisão, rádio nem jornal, não tinham pastores como temos hoje; eles tinham somente o que passavam para eles a respeito de Jesus, mas permaneceram firmes e não negaram a fé em Jesus, mesmo diante do sofrimento extremo. Quantas vezes uma moça fica solteira porque namorou, noivou, e o rapaz tentou levá-la para a cama antes do casamento, mas ela disse “não”. Por causa disso, o noivado acabou, e ela nunca mais se casou. Há determinados sofrimentos por causa da fé. Em muitos lugares essa palavra, “sofrimento” nem é lida, mas o sofrimento bate à porta de todos. E o cristão tem que levar a fé às últimas consequências, ele enfrenta dias difíceis no casamento, dizendo: “Vai melhorar”, tudo porque lhe foi concedida a graça de padecer, sofrer por Cristo e não somente de crer nele. Há uma alegria proposta quando você escolhe deixar uma vida toda bagunçada e ir para os caminhos do Senhor. Não é só uma alegria aqui, mas esperança da eternidade, tal como o autor de Hebreus disse: “(…) (Jesus), em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz (…)” (Hb 12.2). Talvez não seja fácil ser crente onde você trabalha, nos momentos quando seus colegas, muitas vezes, fazem piadas; em sua casa quando seu cônjuge não é convertido, quando seus filhos não são convertidos. Não é fácil, e talvez por essas outras razões você já até pensou em desistir. E, caso você esteja passando por isso agora, fixe seus olhos no Senhor, perceba-o na cruz, quando Ele, “em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma” (Hb 12.2-3). Muitas vezes achamos que a nossa identificação com Cristo nos traz apenas prazer, é verdade, mas traz também sofrimento. Em Marcos 10.29-30, Jesus falou que receberemos, na terra, cem vezes mais “campos”, pai, mãe, irmãos, dinheiro e ao fim Ele também diz, perseguições. Nós apagamos a palavra “sofrimento” do nosso vocabulário, mas em Romanos 8.17, a palavra final é: “Se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados”. Quantas vezes você é abandonado? Quantas vezes você é deixado de lado? Quantas vezes é a própria família que lhe despreza e você carrega um peso tão grande por causa da sua integridade, por causa da sua fé? Não é um sofrimento que vem como consequência de um erro da nossa parte, mas por causa da nossa identificação com Cristo, por causa do nome de Jesus. Quando você desiste do seu emprego por causa da sua fidelidade a Deus, quando a verdade para você é mais forte na sua vida, quando você não permite a corrupção, alcança a promessa: “Com Ele seremos glorificados”. Jamais podemos nos esquecer de que o sofrimento faz parte da vida do cristão. Nada se compara à vida de um cristão real. Ser cristão é sofrer por causa de Jesus; mas apesar do sofrimento e das lutas, há um tesouro tremendo nos aguardando. Você não precisa desanimar, ao contrário, pode caminhar com galhardia, como um vitorioso. Vale a pena sofrer por amor a Cristo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave