Costa é dissimulado, diz Gabrielli

iG Minas Gerais |

SÃO PAULO. O ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli chamou o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa de “dissimulado”, em entrevista ao jornal “Valor”. Disse que o ex-diretor tem 30 anos de Petrobras e sugere que a corrupção vem de longa data: “E você acha que começa agora?”.

Gabrielli negou que poderia ter evitado esses desvios, em sua gestão, e que inclusive o próprio Costa disse que seguiu estritamente as regras internas. “Se não tem falha nos procedimentos internos, como é que se descobre a relação entre um doleiro e um fornecedor? Não tem como descobrir”.

Costa, delator da operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras, afirmou que recebia 3% em propina sobre contratos. Esse porcentual é questionado pelo ex-presidente na reportagem, dizendo que “primeiro isso não está provado. E 3% de todos os contratos são R$ 4 bilhões. E onde é que estão esses R$ 4 bilhões?”, indaga.

Ainda sobre propina, Gabrielli explicou que “o registro contábil é complicado, porque é difícil separar o que é comissão de corrupção”. Questionado sobre a influência do ex-presidente Lula em questões de investimento em refinarias que hoje estão sob investigação, Gabrielli respondeu que o “conselho forçou um pouco” a decisão num momento de mercado em que o Brasil “estava precisando”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave