Oposição articula e diz que CPI da Petrobras está garantida

PSDB coleta assinaturas e afirma que, se não houver apoio no Senado, irá apelar para comissão na Câmara

iG Minas Gerais |


Procurador afirmou que seguir caminho do dinheiro tem dado certo
Antonio Cruz/Agência Brasil
Procurador afirmou que seguir caminho do dinheiro tem dado certo

Brasília. A oposição ao governo Dilma Rousseff retomou nesta segunda-feira os trabalhos no Congresso Nacional preocupada em garantir o número mínimo de assinaturas para a abertura da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que irá investigar as denúncias de desvio de verba e pagamento de propina em contratos da Petrobras. Segundo o novo líder da bancada do PSDB, Carlos Sampaio (SP), as assinaturas dos 127 parlamentares de oposição já estão garantidas. Para instalação de uma CPI na Câmara, são necessárias 171 assinaturas e, se a comissão for mista, será preciso o apoio ainda de pelo menos 27 senadores.

O PSDB, que está centralizando a coleta, quer encaminhar as 171 assinaturas o mais rapidamente possível aos senadores. Se não houver apoio suficiente no Senado, o partido vai tentar instaurar a comissão só na Câmara. A oposição ainda quer abrir outras CPIs, mas com instalação focada na Câmara dos Deputados, que até agora não tem nenhum pedido de CPI protocolado nesta legislatura.

Os requerimentos de instalação da CPI sobre a crise no setor elétrico, sobre os financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sobre os fundos de pensão e sobre denúncias de fraude e desvios de recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), entre 2008 e 2015, também estão prontos e as assinaturas já estão sendo recolhidas.

As bancadas oposicionistas querem aproveitar o momento de fragilidade da relação entre o governo e o Congresso para emplacar as investigações. No domingo, o Palácio do Planalto foi derrotado pela hegemonia do PMDB no Congresso, em especial com a eleição de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara dos Deputados. “Foi uma derrota brutal para o governo”, avaliou Sampaio.

Na análise do senador José Serra (PSDB), é preciso, entretanto, que a oposição não perca o foco criando CPIs de forma aleatória. “Não tem como o Congresso não acompanhar o caso da Petrobras. Isoladamente, é o principal tema hoje de investigação no país. Têm muitas outras CPIs no ar, mas não adianta inflacionar as CPIs, o importante é fazer bem feito as que têm”, afirmou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave