Presidente de Israel pede diálogo com palestinos

No ponto de controle do Exército, que divide os assentamentos, pelo menos dez palestinos, acompanhados de militantes de esquerda e ativistas internacionais, protestaram contra a visita do presidente israelense

iG Minas Gerais | AFP |

O presidente israelense, Reuven Rivlin, pediu nesta segunda-feira (2) o diálogo entre seu país e os palestinos, em declaração durante a visita a uma colônia judaica em Hebron, no território ocupado da Cisjordânia.

Rivlin foi à colônia para inaugurar um museu para rememorar um massacre, no qual dezenas de judeus morreram após uma revolta palestina em 1929.

"É difícil imaginar a possibilidade de um diálogo em Hebron. A memória do massacre e do sangue, os gritos dos feridos e dos órfãos (...) estão gravados na memória coletiva da cidade. Mas podemos e devemos tentar (fazer isso)", defendeu o chefe de Estado.

No ponto de controle do Exército, que divide os assentamentos, pelo menos dez palestinos, acompanhados de militantes de esquerda e ativistas internacionais, protestaram contra a visita do presidente israelense. O grupo levava cartazes em inglês com a frase "Rivlin não é bem-vindo em Hebron".

Os manifestantes denunciaram que os soldados israelenses usaram gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar a multidão. Uma pessoa ficou levemente ferida.

Cerca de 700 colonos judeus vivem protegidos pelo Exército israelense em Hebron, em um clima de tensão constante com os quase 200 mil palestinos residentes na área.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave