Macaé rebate Flamengo e afirma ter sido vítima em invasão de vestiário

Em um comunicado, a direção do clube rebateu acusações de que seria responsável pelo incidente

iG Minas Gerais | Folhapres |

 O caso da invasão de torcedores ao vestiário do Macaé antes do jogo contra o Flamengo ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira. Em um comunicado, a direção do clube rebateu acusações de que seria responsável pelo incidente e ressaltou que a agremiação é vítima no episódio.

"É com tristeza que o Macaé Esporte Futebol Clube vem a público comentar o grave episódio ocorrido quando da partida contra o Clube de Regatas do Flamengo no último sábado, dia 31, no Moacyrzão. Antes de tudo, é preciso deixar claro que o Macaé Esporte FC é vítima no episódio, e não responsável, como vem sendo acusado", diz o comunicado.

No sábado (31), cerca de cem torcedores de uma torcida organizada do Flamengo invadiram uma área do estádio Moacyrzão onde ficam os ônibus das delegações. Desse grupo, dez pessoas entraram no vestiário do Macaé e, além de roubar alimentos e material esportivo, agrediram o goleiro Ricardo Berna, ex-Fluminense. O jogo terminou empatado em 1 a 1.

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, considerou o caso suspeito, já que aconteceu após uma semana de trocas de acusações entre o clube e a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) em razão do preço dos ingressos no Campeonato Carioca.

"Achei estranho o fato de bandidos supostamente terem entrado no vestiário pela porta da frente saído pela porta da frente e não terem sido identificados. Não sou especialista em segurança e não vou dar palpite em uma área que não domino. O policiamento é atribuição do mandante e imaginei que estivéssemos em um ambiente seguro", disse o dirigente ao canal Sportv.

RÉPLICA

Como resposta ao Flamengo, o Macaé argumenta que os vídeos divulgados pela imprensa sustentam a versão de que o clube é vítima, e não causadora, da invasão.

"O clube teve o seu vestiário, nos importantes momentos que antecediam a partida, invadido por mais de 100 pessoas. Vídeos publicados em diversos veículos e testemunhos de quem presenciou a invasão comprovam que a maioria delas pertence a uma facção de torcida organizada do Flamengo", afirmou a nota.

"Vale ressaltar que nunca ocorreu um fato similar em nossos jogos como mandante no Moacyrzão e, ainda que o Macaé Esporte FC tenha sido tão somente vítima neste episódio, o clube não medirá esforços em adotar melhorias que possam evitar fatos como o ocorrido", prosseguiu.

"Por fim, o clube repudia qualquer ato de violência e aguarda providências das autoridades (inclusive desportivas) no sentido de que os responsáveis sejam punidos. Aos nossos atletas e colaboradores, em especial ao goleiro Ricardo Berna, o nosso apoio e solidariedade após o grave incidente de que foram vítimas."

Leia tudo sobre: MacaéFlamengoricardo berna