Ban Ki-moon celebra a libertação do jornalista australiano no Egito

Os três jornalistas foram presos no final de 2013 no Egito por terem ajudado - segundo o Cairo - a agora proibida organização dos Irmãos Muçulmanos

iG Minas Gerais | AFP |

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
undefined

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, celebrou nesta segunda-feira a libertação do jornalista australiano da rede árabe Al-Jazeera, Peter Greste, libertado e expulso do Egito no domingo, e expressou o desejo de que seus colegas sejam também libertados.

Segundo seu porta-voz Stephane Dujarric, Ban "celebra a decisão das autoridades egípcias de libertar" Peter Greste, embora tenha salientado que "os outros jornalistas continuam detidos no Egito à espera de que seus casos sejam também resolvidos rapidamente".

Ban "destaca a importância de preservar a liberdade de expressão e associação no Egito e crê firmemente que o pluralismo é essencial para a estabilidade a longo prazo" do país, afirmou seu porta-voz.

Os outros jornalistas da Al-Jazeera detidos no Egito são Mohamed Fahmy, egípcio-canadense e Baher Mohamed, egípcio.

Segundo o Ministério canadense das Relações Exteriores, a libertação de Fahmy é iminente.

Os três jornalistas foram presos no final de 2013 no Egito por terem ajudado - segundo o Cairo - a agora proibida organização dos Irmãos Muçulmanos. Em junho passado, Greste e Fahmy foram condenados a sete anos de prisão e Mohamed a 10.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave