Helicóptero comprado para Copa faz primeiro atendimento em BH

Aeronave foi adquirida para reforçar a frota ao lado dos dois helicópteros Arcanjo que já atendiam às emergências em todo o Estado e de um avião Cessna usado em diversas missões

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Aeronave fez atendimento nesta manhã, no Anel Rodoviário
Corpo de Bombeiros/Divulgação
Aeronave fez atendimento nesta manhã, no Anel Rodoviário

O helicóptero, modelo EC 145, adquirido por R$ 35 milhões, para atuar em atendimento à vítimas durante a Copa do Mundo, foi utilizado pela primeira vez na manhã desta segunda-feira (2), no Anel Rodoviário, em Belo Horizonte.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, que é o responsável por operar a aeronave, que passou também a se chamar Arcanjo, com este, a corporação terá um total de três helicópteros para atuar no socorro à vítimas e ainda um avião Cessan. Tripulam o novo helicóptero bombeiros e uma equipe de médicos e enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A Secretária de Estado de Saúde (SES) foi procurada pela reportagem, mas ainda não não se manifestou sobre o assunto. 

Relembre

No dia 29 de maio do ano passado o Governo de Minas anunciou, em uma cerimônia de entrega, a aquisição do primeiro helicóptero biturbina dos seis que seriam adquiridos para atendimento no Estado. Na época, a informação era de que a aeronave, de R$ 35 milhões, seria utilizada no socorro de pacientes mais graves durante a Copa do Mundo. O que ninguém imaginaria é que, desde a apresentação, o helicóptero não tornaria a alçar voo do Hangar do Corpo de Bombeiros, no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte.

O helicóptero, modelo EC 145, foi adquirido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a operacionalização do equipamento seria responsabilidade do Corpo de Bombeiros. Ainda de acordo com a Agência Minas, ele está equipado com o mais moderno kit aeromédico disponível no mercado mundial, utilizado pelos maiores operadores do segmento de saúde nos Estados Unidos e Europa.

Entretanto, toda esta tecnologia ainda foi utilizada até então somente para testes e treinos, já que, ainda de acordo com a SES, no governo anterior houve falhas em procedimentos para contratação das equipes médicas que comporiam a tripulação da aeronave. Na época, foi divulgado que a aeronave seria tripulada por bombeiros e médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), tendo capacidade para duas macas com dois pacientes, um médico, um enfermeiro, um tripulante operacional militar, um piloto e um co-piloto.

No início de janeiro, a SES informou que o atual governo, por meio do Corpo de Bombeiros  e da secretaria, já iniciou estudos e ações para acelerar essas contratações e viabilizar a utilização do aparelho o mais breve possível.

No dia 9 de janeiro, ao assumir o comando-geral do Corpo de Bombeiros, o coronel Luiz Henrique Gualberto afirmou que Minas Gerais tem atualmente um déficit 1.720 militares. O Estado conta atualmente 6.280 bombeiros e 1.100 viaturas instalados em somente 58 cidades para atender todos os 853 municípios. Em 2014, a corporação atendeu 348 mil ocorrências, quase 1.000 por dia.

Os equipamentos

Entre os sistemas instalados na aeronave estão equipamentos de tecnologia avançada, dispositivo para rapel, duplo comando, farol de busca e pouso, sistema de diminuição de ruídos e sistema automático de controle de voo.

Além do atendimento inter-hospitalar, a aeronave será destinada para o atendimento primário e secundário e é totalmente equipado para prover Suporte Avançado de Vida, além de transporte de órgãos e tecidos para transplantes e apoio à Força Estadual de Saúde em casos de catástrofes no território mineiro.

Leia tudo sobre: helicópteroprimeiro voo