Capacete de Vettel inspirou carro camuflado da Red Bull

Segundo chefe do time, ideia veio para "dificultar o trabalho das outras equipes para espionar nosso carro neste estágio inicial"

iG Minas Gerais | Folhapress |

Carro camuflado da Red Bull foi a novidade da escuderia austríaca
RED BULL/DIVULGAÇÃO
Carro camuflado da Red Bull foi a novidade da escuderia austríaca

Maior surpresa desta pré-temporada da F-1 até aqui, a pintura camuflada com que a Red Bull apareceu para os testes em Jerez de la Frontera foi inspirada em um capacete usado por Sebastian Vettel no GP da Itália do ano passado.

"A ideia veio do capacete que imitava uma tatuagem usado pelo Seb. Achamos que seria uma coisa interessante de se tentar para dificultar o trabalho das outras equipes para espionar nosso carro neste estágio inicial da pré-temporada", afirmou Christian Horner, chefe da equipe austríaca.

"Além disso somos um time que gosta de inovar e a ideia tinha a nossa cara. Sempre tentamos fazer as coisas de maneira diferente e chegar para os testes com uma pintura diferente também seria uma maneira de chamar a atenção. A reação das pessoas foi ótima e posso dizer que a pintura definitiva que usaremos durante a temporada também causará impacto. Mas as pessoas terão que esperar para ver", completou o dirigente do time que no ano passado completou o Mundial de Construtores na segunda colocação -a Mercedes ficou com o título.

O expediente de "camuflar" o carro com uma pintura diferente é bastante usado em categorias como o Mundial de endurance, onde equipes como Audi, Toyota, entre outras, pintam seus carros para dificultar o trabalho de espionagem de seus concorrentes. Até mesmo com carros de passeio as fabricantes de automóveis utilizam esta tática.

E, pelo menos pelas primeiras reações no paddock da F-1, a ideia da Red Bull está surtindo efeito. "Para ser sincero achei a ideia bastante inteligente. Não é algo que nós usaríamos, mas foi uma boa sacada. E sem dúvida dificultou o nosso trabalho de analisar os detalhes nas fotos", declarou Pat Symonds, diretor técnico da Williams.

Leia tudo sobre: f1capacetevettelcarrored bulljerez de la fronteracamuflagem