Empresas já fazem uso da reciclagem

Ele afirma que, se for necessário, volta a usar os geradores, como aconteceu na primeira crise de energia do país em 2001, quando foi decretado racionamento

iG Minas Gerais | JULIANA GONTIJO |

Medellín, Colômbia. Para o diretor comercial da Santanense, Rogério Gonçalves, há uma preocupação maior. “A questão da água é mais preocupante, já que para a energia existe a solução do gerador”, frisa ele.  

No caso da empresa, que está sediada em Belo Horizonte e tem unidades industriais em Montes Claros, no Norte de Minas, além de Pará de Minas e Itaúna, ambas na região Centro-Oeste do Estado, ele ressalta que foram desenvolvidas várias medidas de controle e reciclagem da água.

Gonçalves conta que um terço da energia consumida pelas plantas fabris é própria. “Agora, é fato que a energia está pesando bem mais para as indústrias, já que está mais cara”, diz o diretor da Santanense.

Ele afirma que, se for necessário, volta a usar os geradores, como aconteceu na primeira crise de energia do país em 2001, quando foi decretado racionamento. O período do apagão durou de 1º de julho de 2001 a 19 de fevereiro de 2002. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave