Modalidade não precisa ser evitada

A solução para conciliar o desejo com a saúde é, segundo o próprio médico, “não ir com tanta sede ao pote”

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

O índice de fraturas penianas causadas pela posição sexual da cavalgada não deve ser interpretado como um sinal de que os casais devem preferir o sexo de outras formas. “Basta pensar na quantidade de pessoas que fizeram sexo nessa posição e na quantidade de fraturas que tivemos nesses anos”, sugere o urologista Adriano Fregonesi.  

A solução para conciliar o desejo com a saúde é, segundo o próprio médico, “não ir com tanta sede ao pote”. Cavalgar pode, mas com cuidado para que a prática não evolua para uma corrida selvagem demais, que vá oferecer risco para os parceiros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave