Não me siga, que estou perdido

iG Minas Gerais |

acir galvao
undefined

Frases de para-choques de caminhão sempre me atraíram. Mesmo que eu saiba que, na maioria das vezes, quando dirijo e vejo à frente um caminhão ainda distante com os dizeres pintados na traseira, o que vou encontrar quando me aproximar e conseguir ler são slogans repetitivos. São quase sempre aqueles com declarações de amor do motorista para a mulher e os filhos (“Em cada coração, uma saudade”, ou “Minha filha, minha vida”, ou “A saudade tem um nome: Gabriel”), ou declarando sua fé em Deus (“Dirigido por mim, guiado por Deus”, “100% Jesus”, “Deus É Fiel”), ou com ditados de gosto duvidoso (“Mulher feia e cavalo bravo só o dono encara”). A recompensa vem quando a tensão no volante se dissipa ao encontrarmos nos para-choques frases originais, inesperadas, ousadas. Isso já aconteceu diversas vezes e é o que me impele a estar sempre atento a essa manifestação espontânea dos donos desses caminhões. Não me lembro agora, para enumerar, algumas que se encaixam nessa conquista pela surpresa, mas basta citar a última com que me deparei há pouco: “Não me siga, que estou perdido”. São seis palavras que podem levar o “leitor” a uma barafunda de interpretações, ao gosto do freguês. Se você é religioso praticante, pode dizer: “esse homem está precisando de Deus”. Se você é um amante da liberdade, pode afirmar: “ele tem o caminho livre para encontrar qualquer destino”. Se você é um boêmio, pode garantir: “esse é dos nossos”. Se você é daquelas pessoas certinhas, avalia: “ele não sabe pra onde quer ir”. Se você gosta de contar piadas, constata: “esse cara deve ser muito bem-humorado”. Se você é muito racional, diz: “não entendi nada”, ou “pra que gastar tinta com isso?”. E se você é romântico? O que pode achar de “Não me siga, que estou perdido”? Talvez, você imagina, o motorista daquele caminhão desejasse mandar um recado de adeus a alguém. “Não venha para o meu lado. Eu não sou a pessoa certa para você. Não me siga que você pode se dar mal. Procure outro caminho. Me esqueça. Se me seguir, você pode se perder. Quero você, mas não sei, estou perdido, não me siga”. Há motoristas que são mais provocativos: “Não me inveje, trabalhe”; ou “Falar mal de mim é fácil, difícil é ser eu”; ou “Tá nervoso, vai orar irmão”. Outros não querem saber de bate-papo: “Lero-lero não tolero”. Mas o mais comum para esse tipo é: “Mantenha distância”. O caminhão do “Não me Siga que estou perdido” era comum, não tinha nada de diferente, a não ser sua frase de para-choque. Virou à direita na esquina seguinte e deixou no ar a frase de seis palavras que deve despertar curiosidade entre todos que a veem: “De onde esse caminhoneiro tirou isso?”. De uma letra de música de rock’n’roll, pode ser uma explicação pertinente. Essa nossa frase pode ser vista como tão bem-humorada quanto esta: “Se for dirigir, não beba; se for beber, me chame”. Há também aquelas carregadas de dubiedade: “Deus te dê em dobro tudo aquilo que me desejas”. Quando estiveres na estrada e vires uma frase de para-choque, pode saciar a sua curiosidade e ler, mas cuidado ao volante. Para esses também tem aquela frase: “Não seja imprudente”. E boa viagem! Ah! Já ia esquecendo. Não me siga, que estou perdido. Texto publicado originalmente em 14.8.2010. O colunista de férias

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave