Ataque não funciona e América estreia com empate diante do Guarani

Time alviverde acertou uma bola na trave com o atacante Rodrigo Silva, após cruzamento do veterano Mancini

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

ESPORTES - DIVINOPOLIS - MG - 01.02.2015
Partida entre Guarani x America , em Divinopolis

FOTO : Carlos Cruz / Assessoria AFC
Carlos Cruz / Assessoria AFC
ESPORTES - DIVINOPOLIS - MG - 01.02.2015 Partida entre Guarani x America , em Divinopolis FOTO : Carlos Cruz / Assessoria AFC

A rodada inaugural do Campeonato Mineiro de 2015 reservou ao América o seu primeiro ponto na temporada. Apesar de tentar a vitória na abertura oficial do Estadual, na tarde deste domingo, o Coelho parou na marcação do Guarani e ficou no 0 a 0, no estádio Farião, em Divinópolis.

Em dia de público razoável na casa do Bugre, que teve apoio da torcida, o time americano se reencontrou com dois jogadores veteranos que já vestiram a camisa alviverde: o volante Leandro Ferreira e o atacante Fábio Júnior, hoje do lado vermelho.

Muito mudado em relação ao time do ano passado, o América, mesmo ainda longe da condição física ideal, conseguiu mostrar bom entrosamento. E a grande arma apresentada pelo time alviverde no primeiro tempo foi o uso constante da linha de fundo. Tanto o lado direito, quanto o esquerdo.

Depois de se estabilizar em campo e segurar o ímpeto do Guarani, a equipe de Givanildo Oliveira insistiu bastante em jogadas pelas pontas, aproveitando a velocidade dos laterais Bryan e Patrick. A dupla, apoiada pela experiência do volante Leandro Guerreiro e do meia Mancini, municiou bem à ofensiva americana.

E se o primeiro tempo terminou com o placar de 0, a 0, que se manteve durante os 90 minutos de jogo, a culpa foi mesmo dos atacantes que não souberam aproveitar as chances. A melhor oportunidade do América para abrir o placar na etapa inicial aconteceu aos 37 minutos. Mancini cobrou escanteio da direita e o avante Rodrigo Silva cabeceou a bola na trave.

“O América está melhor, as bolas lançadas na área estão um pouco fortes, temos que melhorar esses detalhes. Se persistirmos um pouco mais poderemos sair com a vitória”, comentou o veterano Mancini na saída para o intervalo.

A etapa dois foi marcada por mudanças no estilo de jogo das equipes. Tanto o Guarani como o América tornaram o jogo mais acelerado. Mas nem assim houve gols. “Faltou o último passe e caprichar na frente”, justificou o meia Michel Cury, do Guarani. “Jogo corrido, mas deixamos a desejar na parte técnica”, disse o lateral Patrick, do América.

Leia tudo sobre: américacampeonato mineirocoelhoguaranibugre