Órgão em 3D salva a vida de garotinha

O problema cardíaco de Mina foi detectado em um dos exames pré-natais de ultrassom

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

A tecnologia salvou a vida da menina inglesa Mina, de 2 anos. Ela nasceu com um problema congênito no coração que interferia no funcionamento do órgão e precisava de uma cirurgia reparadora. O defeito foi corrigido com a ajuda de um molde real do coração da menina, feito em uma impressora 3D.  

O problema cardíaco de Mina foi detectado em um dos exames pré-natais de ultrassom. Era um buraco entre duas cavidades do órgão, que atrapalhava seu funcionamento e o impedia de bombear o sangue adequadamente pelo corpo da pequena.

Com fotos detalhadas do coração e com a ajuda de programas de computação gráfica, o médico Tariq Houssain conseguiu fazer um modelo em tamanho real do coração defeituoso. Uma impressora 3D construiu o modelo, que foi estudado pelos médicos antes da cirurgia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave