Petrobras pode ter calote decretado

Balanço sem auditoria fere lei norte-americana e estatal pode ter que pagar dívidas antecipadamente

iG Minas Gerais |

Artigo. Financial Times cobra de Dilma explicação sobre o que ela sabia sobre a corrupção na Petrobras
Roberto Stuckert Filho/PR
Artigo. Financial Times cobra de Dilma explicação sobre o que ela sabia sobre a corrupção na Petrobras

Nova York, EUA. A Petrobras descumpre a legislação do mercado de bônus dos Estados Unidos mesmo com a divulgação do balanço do terceiro trimestre não auditado e tem o risco de ser declarada em default, afirma a gestora Aurelius Capital Management. “Apesar das garantias recentes, a Petrobras permanece inadimplente pela lei dos bônus em Nova York”, ressalta um comunicado do fundo enviado ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

Default é o descumprimento de qualquer cláusula importante de um contrato que vincula devedor e credor. Na prática, é o que chamamos de calote.

O comunicado é assinado pelo presidente do Aurelius, Mark Brodsky, fundo de hedge com sede em Nova York que processou o governo da Argentina por conta do calote da dívida externa do país e que agora tenta reunir investidores para declarar a Petrobras em default.

“Esses títulos (emitidos em Nova York) exigem que a Petrobras divulgue suas demonstrações financeiras de acordo com as regras do IASB, mas a nota explicativa número 2 das novas demonstrações financeiras admite que não foram cumpridas”. A IASB é a sigla da International Accounting Standards Board, uma associação que determina normas internacionais de contabilidade.

Na nota explicativa, a Petrobras ressalta a “existência de erros nos valores de determinados ativos imobilizados”, que não puderam ser corrigidos até a data de divulgação e ressalta que “as demonstrações contábeis intermediárias consolidadas estão de acordo com o IAS 34 emitido pelo IASB, exceto pelos erros mencionados”.

Além de não auditado, o balanço não inclui os ajustes contábeis por causa das denúncias de corrupção investigadas na operação Lava Jato da Polícia Federal.

No fim de dezembro, o Aurelius enviou uma carta aos detentores de títulos de dívida da Petrobras na tentativa de reunir interessados em declarar a empresa em default. O fundo espera reunir ao menos 25% destes investidores, número que é necessários para formalizar a quebra do covenant (garantias) de aproximadamente US$ 54 bilhões de bônus da petroleira.

Dilma deve explicar o que sabe sobre o caso, diz Financial Times Brasília.O diário britânico Financial Times publicou um artigo neste sábado em que cobra da presidente Dilma Rousseff uma explicação acerca do que ela sabia sobre a corrupção na Petrobras. Para o jornal, já passou o tempo de ser tolerante com os diretores da companhia. O editorial afirma que Dilma deve apoiar a investigação e que embora ela não tenha sido acusada diretamente de envolvimento, precisa explicar o que sabia e quando soube. O jornal ainda compara o escândalo na Petrobras com o mensalão. Segundo o editorial, o mensalão levou a condenações de políticos – algo inédito no Brasil. Com a Petrobras, a resposta precisa ser rápida e firme. Para o diário, a desvalorização da Petrobras interfere na economia brasileira e ameaça derrubar o governo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave