Alvaro Dias

Senador (PSDB-PR)G

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

O senhor faz críticas à atuação do BNDES e tentou por diversas vezes ter acesso aos dados do banco. O que é possível fazer agora?

Já tentamos algumas vezes instalar a CPI do BNDES, mas a oposição foi impedida pela base governista. Agora, na nova legislatura, com uma nova composição de forças, poderemos ter mais sucesso nessa empreitada de abrir a caixa-preta do banco. Quais as questões envolvendo o BNDES que mais preocupam o senhor e que devem ser alvo da CPI?

Os empréstimos milionários com tarja de sigilosos concedidos pelo BNDES a países como Cuba e Angola; as contradições da política de subvenções econômicas do banco, que prioriza grandes grupos econômicos em detrimento de médios empresários; a falta de transparência na concessão de créditos; o grande número de obras no exterior feitas por empresas brasileiras, gerando empregos em outros países e reduzindo as oportunidades de trabalho no nosso país. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave