Com apoio de PSDB, Luiz Henrique diz que Renan partiu para o desespero

Presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG) comandou a reunião da bancada do partido no Senado e prometeu entregar os 11 votos da legenda, garantindo apoio "unanime"

iG Minas Gerais | Folhapress |

PEC que diminui suplências foi aprovada por unanimidade na CCJ
JOSÉ VARELLA/AGÊNCIA SENADO
PEC que diminui suplências foi aprovada por unanimidade na CCJ

Depois de receber o apoio formal do PSDB a sua candidatura à presidência do Senado, o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) subiu o tom contra seu adversário, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que busca à reeleição.

Sem citar o nome do adversário, Luiz Henrique afirmou que a campanha de Renan tem praticado "atos de desesperos" e garantiu que vencerá a disputa com "folga".

O desespero citado por Luiz Henrique é o fato do grupo de Renan ter articulado a posse do suplente do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) para não perder voto. Fernando de Castro Ribeiro (PMDB-PA) tomou posse nesta sexta (30), 20h59.

"Vamos vencer as eleições e com certa folga. Evidente que estão praticando atos de desespero, dando posse a suplente na noite de sexta-feira, mas não vai adiantar. Ninguém é capaz de segurar o vento. O vento da mudança está aí", afirmou.

A campanha de Luiz Henrique calcula 50 votos.

Presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG) comandou a reunião da bancada do partido no Senado e prometeu entregar os 11 votos da legenda, garantindo apoio "unanime". Ele afirmou que, apesar de Luiz Henrique ter se alinhado a partidos da oposição, a candidatura dele não tem viés oposicionista, mas representa "uma candidatura da instituição".

"É a candidatura das mudanças que o Senado e o Parlamento precisam viver, a oxigenização do processo legislativo", afirmou o tucano.

Aécio e outros líderes tucanos foram procurados neste sábado por Renan numa expectativa de conversar sobre um apoio sobre a sua recondução.

Candidato oficial do PMDB, Renan tem se dedicado a ligações e encontros pessoais para tentar esvaziar a candidatura de Luiz Henrique, que lançou seu nome mesmo sem respaldo de sua bancada.

Renan tem argumentado que tem direito ao cargo porque foi escolhido pelo PMDB, a maior bancada da Casa.

Luiz Henrique tem apoio de PP, PDT, PSDB, DEM, PSB, PPS e PSOL, mas há expectativa de traições em todo as as bancadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave