Depois de 12 anos, Samu chega a 153 cidades do Sul de Minas

Governador e Ministro da Saúde lançaram sistema em Varginha

iG Minas Gerais | Aline Diniz |

Estrutura. Cidades do Sul de Minas receberam 43 ambulâncias
RICARDO MALLACO / O TEMPO
Estrutura. Cidades do Sul de Minas receberam 43 ambulâncias

Após sucessivos atrasos, moradores de 153 municípios do Sul de Minas passarão a contar, a partir deste sábado, com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O governador Fernando Pimentel esteve nesta sexta em Varginha, na mesma região, para inaugurar o Samu Macro Sul. A implantação foi possível por meio de um investimento de R$ 7,8 milhões.

Como O TEMPO mostrou em reportagem do último dia 8 de janeiro, 19 ambulâncias do Samu estavam sem uso no município de Varginha desde 2010. Em 2013, os veículos chegaram a ser devolvidos para o Ministério da Saúde. Um dos entraves para a inauguração foi a dificuldade para contratar médicos.

Durante solenidade nesta sexta, o Ministro da Saúde, Arthur Chioro, condenou a demora na implantação do Samu na região. “Hoje, 75% da população brasileira, ou seja, 151,6 milhões de brasileiras e brasileiros contam com a cobertura do Samu. Jamais imaginei que o Samu levaria 12 anos para chegar ao Sul de Minas”, disse.

O Samu foi criado em 2003, inspirado em um modelo de resgate francês.

Pimentel ainda mencionou que é uma “vergonha para Minas ser a pior cobertura (do Samu) no Brasil”. O governador prometeu melhorar não só o setor de urgência e emergência, mas também centros de especialidades médicas e hospitais regionais.

A analista de compras e moradora de Varginha Lilian de Oliveira, 42, espera que o Samu resolva um problema antigo na cidade. “A gente tem que levar doentes de carro até o hospital. Além disso, quando acontecem dois acidentes, feridos precisam ficar esperando na rodovia por atendimento”.

“Desde outubro de 2014, eles falam que estão inaugurando. Vamos esperar para ver”, disse Otávio de Oliveira Barbosa, 77, também morador de Varginha.

Estrutura. Conforme informações da Agência Minas, 619 profissionais trabalharão na rede. Entre eles estão 67 médicos, 68 enfermeiros, 202 técnicos em enfermagem, além de motoristas, farmacêuticos e servidores administrativos. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que mais de R$ 3,1 milhões serão destinados para o custeio mensal do Macro Sul. O valor será destinado pelos municípios, Estado e União. Serão beneficiadas 2,7 milhões de pessoas.

Na solenidade, foram entregues 43 ambulâncias para 34 municípios da região. Com a implementação do Samu no Sul de Minas, 475 dos 853 municípios mineiros terão acesso ao serviço.

Flash

Aprovação. O prefeito de Monte Sião, no Sul do Estado, se mostrou satisfeito com a inauguração. “O Samu não é a solução de tudo, mas com certeza é um grande passo. Temos profissionais extremamente capacitados e, mais do que isso, existe vontade política por parte dos prefeitos, dos governos federal e estadual”, disse.

Mais de 44% dos municípios não têm resgate Em Minas Gerais, 44,31% das cidades ainda não têm Samu. Em Santa Luzia, na região metropolitana da capital, 19 ambulâncias estão paradas. Segundo a SES, os veículos serão usados na Rede de Urgência e Emergência Macro Centro. O médico especialista em urgência e emergência da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), José Carlos Serufo, explica que a rapidez com que um paciente é atendido pode reduzir o risco de sequelas. “No caso de uma parada cardíaca, os cinco primeiros minutos são definitivos”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave