Cidade jardim

iG Minas Gerais | Paulo Navarro |

Verão - Encontrando o sol, o mar e a Mata Atlântica de Angra de Reis, Alyne Vaz
Arquivo pessoal
Verão - Encontrando o sol, o mar e a Mata Atlântica de Angra de Reis, Alyne Vaz

Cidade verde   Mas a necessidade é a mãe da criatividade. Os tão aclamados edifícios sustentáveis nasceram nas grandes e quase perdidas cidades da Europa e dos Estados Unidos. Aqui, quem largou à frente foi o Rio de Janeiro, com o certificado Qualiverde. Para isso e para reduzir o IPTU, regras.   Cidade sustentável O ideal seria demolir prédios e criar áreas verdes, mas o Qualiverde exige menos, com ótimos resultados: a implantação de geração de energia solar ou eólica e “telhados verdes”: criar, literalmente, canteiros, hortas, plantas e árvores, onde antes existia apenas a feia laje.   Cidade saudável Estas áreas verdes planejadas, improvisadas, estuprando o concreto, não são apenas colírio para os olhos, mas oxigênio para a vida. Pesquisas mostram o óbvio ululante: que áreas verdes ajudam a melhorar, e muito, a qualidade do ar em centros urbanos, filtrando poluentes prejudiciais à saúde humana. E como uma ótima ideia puxa outras, temos agora a construção específica de instalações, como outdoors, cobertos de vegetação e, no interior ou em fachadas de casas e prédios, jardins verticais.   Victoria da simpatia   O governador Fernando Pimentel era só alegria, na tarde do último domingo, 25, no restaurante La Victoria. Despojado, vestindo jeans, ao lado de sua Carolina Oliveira e das famílias do secretário Geral de Governo, Eduardo Serrano, e Juliana; do presidente da Cemig, Mauro Borges, Bethania e o filho David; do deputado Gabriel Guimarães, Bruna e o filho Léo; Pimentel foi simpático com os demais presentes. Fez “pit stop” na mesa de Fernando Areco Motta, sócio de Tomás Mesquita no La Victoria, elogiando a casa e seu cardápio. À coluna, falou de uma nova era na política mineira: deu receita de otimismo para o Estado e nossa economia.   Conhecer para amar   Nas escolas de antanho – hoje não sabemos – a gente aprendia que o Brasil tem este nome por causa da árvore pau-brasil (brasil, de brasa vermelha) e que todo nosso país, gigante por natureza e abençoado por Deus, era coberto pela tropical Mata Atlântica. Dela, infelizmente, sobrou muito pouco. Logo, é impossível falar de Angra dos Reis, como na última semana, sem citar esta dádiva que cobre 90% da região. Verdadeiro show de flora e fauna, por causa das chuvas abundantes e da Serra do Mar e do oceano.   Amar para preservar   Com este éden preservado, todos ganham: turistas e hotéis, moradores fixos e de temporadas; o comércio e a própria natureza. Casas e hotéis de luxo, esbanjando bom gosto, arte, decoração e sustentabilidade. Overdose de natureza, em águas, trilhas ecológicas, montanhas e pedras.   Não está sendo fácil No cooper na Lagoa Seca do Belvedere, diretor de uma empresa imobiliária contava que, naquele bairro, há nada menos que cem imóveis desocupados, à espera de inquilinos ou novos proprietários. Na mesma ocasião, um empresário, envolto em contas de início de ano, depois de bater em algumas portas de banco, comentava: “Quando você está bem, eles oferecem um guarda-chuva. Quando precisa de um, lhe tiram”.   LANÇA-PERFUME   Em meio à popularização de Búzios, a Praia Brava tem sido um “point” VIP em voga no balneário. A onda veio com a inauguração de um hotel de luxo no local, trazendo, na esteira, barracas com superestrutura, lounge de tendas e acolchoados, tipo Trancoso.   Gustavo Pianetti e sua grife, Anno, estarão no MUBE, o Museu Brasileiro de Escultura, em São Paulo, de 2 a 5 de fevereiro, para a mostra Paralela - Móveis. Os designers de produtos são Flávio Franco Graziela Azevedo e o próprio Pianetti. Os designers de superfície, Elisa Atheniense e Ronaldo Fraga.   No próximo sábado (7), o Parque JK recebe o Circuito de Bloquinhos de Carnaval, em prol do projeto social Força do Bem. Das 12h às 21h, com Trem dos Onze, Oi de Gato, Villa Samba e a Escola de Samba Canto da Alvorada.   O convite “custa” dois quilos de alimento e deve ser retirado antecipadamente. Doze instituições e a comunidade Acaba Mundo serão beneficiadas. LS Produções e Label 12 assinam o evento, com apoio da Secretaria de Cultura e PBH.   Fernando Júnior, presidente do Grupo Meet – que tem o Porcão BH entre seus empreendimentos –, prepara duas novas casas em BH. No bairro de Lourdes, o Meet Lourdes, espaço para eventos. E na Savassi, o Red Meat, para o happy hour. Ambas inauguram em fevereiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave