Petrobras diz que discussão sobre reter dividendos "é prematura"

Estatal explicou "não ser possível precisar resultados do exercício de 2014, que serão divulgados na publicação das demonstrações financeiras anuais, que devem ser entregues até o final de abril"

iG Minas Gerais | Folhapres |

Depois de aventar a possibilidade de reter dividendos de acionistas diante de sua difícil situação financeira, a Petrobras afirmou nesta sexta-feira (30) que não "há definição" sobre o tema, levantado pelo diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa. O executivo não descartou, em entrevista na quinta-feira (29), tal possibilidade "em caso de estresse financeiro" da companhia.

Em nota, a estatal afirmou nesta quinta que "a discussão sobre eventual distribuição de dividendos mostra-se prematura, já que ainda não há o fechamento do balanço anual da companhia com os resultados do período."

A Petrobras disse que as informações divulgadas pela companhia na quarta-feira (28) se referem ao balanço do terceiro trimestre de 2014, "sendo necessário aguardar o balanço anual para avaliar as alternativas sobre a distribuição de dividendos".

Segundo a estatal, "não é possível precisar os resultados do exercício de 2014, que serão divulgados quando da publicação das demonstrações financeiras anuais, que devem ser entregues até o final de abril".

A empresa ponderou que a lei permite que não seja distribuído lucro se "a situação financeira da companhia for incompatível". Nesse caso, o pagamento dos dividendos prioritários (para os acionistas detentores de ações preferenciais) poderá ser postergado "para o momento em que a situação financeira da companhia permita".

Ao dizer que é "prematuro" discutir dividendos agora, a estatal sinaliza que as baixas contábeis a serem feitas por causa de desvios provocados por atos de corrupção podem levar a estatal a um prejuízo em 2014. Nessa hipótese, não há lucro a ser distribuído.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave