Pedalada em grupo de segunda a segunda em Belo Horioznte

Para quem não quer pedalar sozinho, ciclistas saem em grupos todos os dias da semana em vários pontos da cidade

iG Minas Gerais | João Paulo Costa e Natália Oliveira |

Eles acreditam que já caiu por terra o mito de que Belo Horizonte não é uma boa cidade para andar de bicicleta. Antes anônimos, os amantes da “magrela” têm se articulado em grupos maiores e, por meio das redes sociais e dos passeios semanais, têm visto, cada vez mais, as pessoas chegarem até eles procurando orientações sobre onde, quando e como começar a andar de bicicleta.

Alguns desses grupos movimentam verdadeiras campanhas em prol da adoção da bicicleta como meio de transporte na capital mineira, outros transformam a pedalada em atos políticos, arte, ambiente para novas amizades e diversão.

Tem para todos os gostos. E quem quiser acompanhá-los basta escolher o dia ou os dias da semana. A agenda da moçada que ama bike é cheia. Na segunda-feira, por exemplo, é o dia do Zoobiker, criado em janeiro de 2013 pelo publicitário Marco Pina. O grupo tem entre 40 e 80 integrantes e sai sempre às 20h da charmosa praça da Savassi.

Veja um mini documentário sobre o grupo Ruts:

 

 

Segundo Pina, o grupo recebe novos integrantes o tempo todo. “Cada vez chega mais gente, e isso é muito bom. A gente vê novatos enfrentando esses morros de BH, como o tobogã da Contorno, ou as subidas da Raja e da Barão Homem de Melo. E quando eles conseguem, têm uma satisfação enorme, o que encoraja a continuar”, afirmou.

Mesmo na chuva

A reportagem de O TEMPO acompanhou, na última terça-feira, o grupo RUTs – Rolê Urbano de Terças. Na ocasião, nem mesmo a forte chuva impediu os integrantes de darem seus rolés. O trajeto foi definido durante a reunião do grupo, às 19h30, na praça da Liberdade, por um dos integrantes que apadrinha o RUTs no dia. “O grupo é para fazermos amizade com outros ciclistas, dividirmos experiências e também conhecer a cidade de um jeito que não veríamos se estivéssemos dentro de um carro”, considerou o publicitário Vitor de Oliveira, um dos organizadores.

Já na última quinta-feira, pontualmente, às 20h, na praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia, região Leste da capital, o grupo Sagrado Pedal reunia cerca de 60 integrantes e estava pronto para sair em caravana. De acordo com o administrador Ramon Gonçalves, 29, o Sagrado Pedal tem uma alta rotatividade e é frequentado por pessoas de todas as idades. “Temos ciclistas experientes, intermediários e iniciantes. Já passaram por aqui mais de 600 pessoas. Há crianças de dez anos até senhores de 60”, contou.

Iniciante no grupo, a professora Talita Barcelos, 27, mostrou-se mais segura em pedalar acompanhada. “Na semana passada, acompanhei um outro grupo, e, hoje, estou aqui, com o Sagrado Pedal. Pedalar em grupo pode ser mais tranquilo, porque os motoristas respeitam mais”, destacou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave