Campus da UFMG pode ser abastecido por água de poços artesianos

Pró-reitoria informou que pretende fazer a sugestão à Copasa e acredita que os poços podem suprir cerca de 60% do consumo total de água no campus Pampulha

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Por causa da crise hídrica em Minas Gerais e a necessidade de se economizar água, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) irá sugerir à Copasa que abasteça parte do campus Pampulha com o estoque de poços artesianos perfurados no local há mais de 10 anos.

“A medida reduziria a sobrecarga no sistema que serve à cidade”, argumenta o pró-reitor adjunto de Administração, engenheiro Luiz Felipe Vieira Calvo. “Vamos convidar a Copasa a compartilhar com a Universidade a utilização de quatro dos seis poços”, completa. Ele acredita que os poços possam ser equipados e, em conjunto, e possam suprir aproximadamente 60% do consumo total de água do campus Pampulha.

“Considerando que o consumo médio mensal de água fornecida pela Copasa é de 31 mil metros cúbicos, aproximadamente 18 mil poderiam ser supridos pelos poços. Isso significaria um excedente estimado de 13,4 mil metros cúbicos do sistema que poderiam ser destinados a outros consumidores”, explica o engenheiro Fausto Pársia, responsável pela Divisão de Infraestrutura Sanitária do Departamento de Gestão Ambiental Pró-reitoria.

O pró-reitor Luiz Felipe Vieira Calvo também recomendou ao setor de Áreas Verdes que diminua ao mínimo possível a irrigação dos gramados e de plantas ornamentais do campus, embora essa atividade venha utilizando água de um dos poços.

Ainda de acordo com o pró-reitor adjunto, outras medidas serão adotadas em acordo com ações já implantadas ao longo dos últimos anos. Ele explica que todos os prédios construídos na última década foram equipados com dispositivos economizadores de água, como descargas sanitárias com duplo comando, torneiras com acionamento manual por pressão, válvulas de controle de vazão nos lavatórios, mictórios masculinos com descargas acionadas por sensores de presença e sistemas de aproveitamento de água de chuva para abastecimento de parte das peças sanitárias.