Clima tenso em evento de HQs

Cidade de Angoulême, na França, inicia seu festival com forte esquema de segurança

iG Minas Gerais |

Famosos. Jovens quadrinistas e veteranos se encontram no festival de Angoulême
PIERRE DUFFOUR
Famosos. Jovens quadrinistas e veteranos se encontram no festival de Angoulême

Angoulême, capital internacional dos quadrinhos, inaugurou a 42ª edição de seu festival nesta quinta-feira embaixo de uma nuvem cinza, enquanto seus visitantes se abrigavam da chuva. Também acinzentado era o humor durante esse início de festival – realizado, afinal, no mesmo mês em que dois atiradores invadiram a redação da publicação satírica “Charlie Hebdo” em Paris e mataram 12 pessoas. O atentado foi motivado por ilustrações que o jornal fazia de Maomé, o profeta do islã.

Ao contrário de edições anteriores, o evento começou mantido sob forte aparato de segurança. Enquanto expositores montavam seus estandes, cachorros farejadores checavam gibis e badulaques. A operação antiterror, com cartazes espalhados pela cidade e avisos sonoros, deve prejudicar o andamento do festival. A entrada nos pavilhões é feita após inspeção de bagagem e detectores de metal, criando filas e atrasos. Saídas laterais foram fechadas, e quem frequenta o evento anualmente teve de reaprender seus caminhos.

Angoulême é considerada a capital internacional dos quadrinhos, razão pela qual suas ruas são marcadas por murais ilustrados. As placas de sinalização são penduradas em formato de balão, como aqueles que marcam os diálogos nos gibis. O festival de quadrinhos realizado no início de cada ano é o mais importante do gênero, e reúne gigantes para palestras e disputadas filas de autógrafo. O evento recebe também jovens quadrinistas que fazem fila para conversar com editores e receber sugestões. Os mais adiantados levam seus gibis embaixo do braço para mostrar a editoras interessadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave