Galo quer melhorar bola aérea para reviver tempos de Cuca

Números de 2014 não são tão ruins, já que equipe fez gols decisivos de cabeça na Copa do Brasil

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Bom de cabeça. 
Com Levir Culpi no comando da equipe alvinegra, o meia-atacante Luan é quem mais marcou gols em cabeceios
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Bom de cabeça. Com Levir Culpi no comando da equipe alvinegra, o meia-atacante Luan é quem mais marcou gols em cabeceios

Arma quase mortal do Galo nos tempos do técnico Cuca, os cruzamentos na área continuam fortes no Atlético, mas, com Levir Culpi, a bola passou a ficar mais no chão. Assim, o aproveitamento aéreo, tanto para defender como para atacar, não é mais o mesmo. O atual comandante já sinalizou que as chamadas bolas paradas – que têm gerado muitos gols no futebol atual – serão mais bem trabalhadas para a temporada 2015.

Sem Ronaldinho Gaúcho e Bernard, dois dos grandes alimentadores do jogo aéreo em 2012 e 2013, o elenco ainda viu o centroavante Jô e o zagueiro Réver, outros protagonistas do lance, perderem espaço.

Os números ao lado mostram a diferença de rendimento (o Brasileirão de 2013 não foi considerado pelo fato de o Atlético ter jogado muitas partidas com reservas, já que o time se preparava para o Mundial de Clubes). Os números de 2014 não foram ruins – até porque o time usou a cabeça para fazer gols decisivos na reta final da Copa do Brasil –, mas o aproveitamento foi melhor nos tempos de Cuca.

Após a vitória contra o Shakhtar Donetsk-UCR, Levir Culpi tratou de conter a euforia e explicar que é preciso melhorar o setor aéreo. “Precisamos de alguns ajustes, sobretudo, nos lances de bolas paradas, o tempo (de bola), a distância da defesa e do ataque. Falta muito ainda”, disse Culpi.

Perspectivas. Já sem Diego Tardelli – vendido ao futebol chinês –, a expectativa é que o argentino Lucas Pratto seja o goleador, como típico homem de área. Ele poderá contar com o compatriota Dátolo, autor de 20 assistências em 2014, para auxiliar nas bolas paradas.

Sem os grandalhões de outrora, o posto de melhor cabeceador da era Levir acabou ficando com o meia-atacante Luan. Com seus modestos 1,70 m de altura, ele marcou cinco gols de cabeça na temporada passada .

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave