Após reforma, Arena Pantanal reabre com metade da capacidade

Estádio foi liberado para receber jogos do Campeonato Mato-Grossense, mas voltará a ser interditado para obras

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Arena Pantanal chama atenção por semelhanças com a Arena Independência
Edson Rodrigues/Secopa MT / Divulgação
Arena Pantanal chama atenção por semelhanças com a Arena Independência

Após a realização de obras emergenciais, a Arena Pantanal, em Cuiabá, foi liberada parcialmente pelo governo de Mato Grosso para a disputa do campeonato estadual de futebol, que começa em 1º de fevereiro e termina em maio.

Durante a competição, no entanto, a capacidade do estádio será reduzida de 43 mil para 18 mil pessoas, já que a infiltração no forro não foi corrigida e poderia colocar em risco torcedores acomodados nos anéis superiores. Somente os anéis inferiores estarão abertos, além do setor de imprensa, de bares e banheiros.

A liberação parcial ocorreu após a entrega, nesta quinta-feira (29), dos laudos do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, que inspecionaram a arena.

Palco de quatro jogos da Copa do Mundo, o estádio foi interditado pelo governo estadual na semana passada, sete meses depois de ser inaugurado, para a realização de obras de reparo em sua estrutura. O secretário extraordinário de Projetos Estratégicos, Gustavo Oliveira, afirmou que, "do jeito que estava, o estádio não tinha condições de receber qualquer tipo de evento".

O governo informou que foram realizadas todas as correções emergenciais, como na subestação de energia, que inundava constantemente, e em outros 11 pontos críticos devido à ocorrência de alagamentos e goteiras. A rede elétrica também passou por consertos.

Com os reparos, o governo espera afastar de vez o risco de a arena sofrer uma pane por problemas de energia. Oliveira descartou a possibilidade de acidentes envolvendo descargas elétricas. Em novembro do ano passado, uma égua da cavalaria da Polícia Militar, que estava na parte externa do estádio, morreu após ser eletrocutada por um fio desencapado.

Segundo a Secretaria de Projetos Estratégicos, a reforma foi totalmente custeada pela Federação Mato-Grossense de Futebol, e o governo colaborou apenas com a mão-de-obra. Os custos não foram divulgados.

NOVA INTERDIÇÃO

Após o término do Campeonato Mato-Grossense de Futebol, o estádio voltará a ser completamente interditado para que a empreiteira Mendes Júnior -responsável pela construção da arena- finalize a obra e corrija problemas mais graves, como as infiltrações que podem derrubar o forro.

A empreiteira, segundo o governo, precisa acertar alguns detalhes no acabamento, construir banheiros e a estrutura da praça de alimentação na área externa.

A Mendes Júnior diz que ainda não recebeu R$ 70 milhões do governo de Mato Grosso. Oliveira não quis comentar o assunto, alegando que equipes da Controladoria Geral do Estado realizam uma auditoria em todos os contratos do governo. Os resultados devem ser apresentados apenas em abril.

Segundo a extinta Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), a Arena Pantanal custou R$ 626 milhões. O estádio, erguido totalmente com recursos públicos, recebeu 12 jogos oficiais após a Copa, além de shows.

Leia tudo sobre: arena pantanalcopa do mundoobrasreabertura18 mil publico