Alexandre Rivetti justifica dispensas no São José Vôlei

Depois de central Rodolfo criticar novo treinador, o comandante revela que decisão foi tomada pela diretoria, que preferiu não pecar por omissão

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Time de Rivetti tem apenas duas vitórias em 17 jogos
ALINE FURLANETTO
Time de Rivetti tem apenas duas vitórias em 17 jogos

A má fase do São José dos Campos-SP persiste e o time se vê em uma situação complicada dentro da Superliga masculina. Mesmo com a dispensa de três jogadores - o central Rodolfo, o oposto Jean e o levantador Edvaldo -, a equipe não consegue se encontrar no campeonato.

A decisão da saída dos atletas veio recentemente e o ambiente conturbado mostra condições de seguir um pouco mais tranquilo. 

"Foi algo que veio de cima, mas claro que passou por mim e pela comissão. Tínhamos que escolher nomes e eles foram os apontados. O elenco apresentava uma certa 'rachadura'. O Rodolfo e o Jean eram atletas da época do antigo treinador (Reinaldo Bacilieri) e não se conformaram com a saída dele. Tentaram seu retorno, sem sucesso. O grupo parecia dividido entre os que estavam no time há mais tempo e os que chegaram para esta temporada",  aponta o técnico Alexandre Rivetti, que ainda tenta dar ao time uma boa sequência de vitórias. O saldo até aqui é de 15 derrotas em 17 jogos e a penúltima posição na tabela. "Mesmo depois da saída do Reinaldo, o time não rendeu e a situação foi se agravando. Tínhamos que tomar alguma atitude, não poderíamos pecar por omissão. Eles estavam no grupo muito em função do Reinaldo e acho que bateu uma acomodação. De repente, se sentiram donos do time, mas a equipe não é deles, é da cidade", declara. 

Quem também deixou o time, por conta própria, foi o líbero Túlio. "O Edvaldo é um levantador juvenil, ele é o que tem menos culpa nisso tudo. Tivemos que desligá-lo unicamente por uma questão financeira, tínhamos que liberar um apartamento, temos custo com isso", justifica Rivetti.

Jean e Rodolfo fizeram parte do elenco do São José nos últimos anos, quando o time, com muito custo, sob o comando de Bacilieri, chegou à elite do vôlei nacional. 

Recentemente, Rodolfo concedeu entrevista afirmando que o motivo alegado para sua dispensa seria financeiro. Muitas acusações foram feitas contra Rivetti e a diretoria do São Jose. "Ele foi infeliz, mas pode falar o que quiser, mas toda situação tem dois lados. Não desejo mal nenhum para eles, que são profissionais e vivem do vôlei. Espero que possam seguir seu caminho, encontrar uma outra equipe. Foi uma situação extrema, nunca é confortável dispensar jogadores no meio de uma temporada. Mas era uma situação que já vinha se desenrolando há algum tempo", mostra.

O São José corre contra o tempo para não ser rebaixado. "O time continua focado na Superliga", garante Rivetti, que levou o Vôlei Brasil Kirin-SP, na última temporada, ao terceiro lugar do campeonato nacional.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave