Botafogo lidera lista de clubes que mais devem FGTS

Clube carioca deixou de depositar R$ 29,4 milhões de direitos trabalhistas dos seus funcionários; Atlético é o quinto maior devedor

iG Minas Gerais | Folhapress |

O Botafogo tem nesta quarta-feira, um confronto direto com o Figueirense, na luta contra o rebaixamento
Satiro Sodre/SSPress
O Botafogo tem nesta quarta-feira, um confronto direto com o Figueirense, na luta contra o rebaixamento

Os 20 participantes do Campeonato Brasileiro e o Botafogo, que irá disputar a Série B nesta temporada, possuem uma dívida acumulada de R$ 130 milhões somente com FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

O montante se refere à soma dos encargos trabalhistas que os clubes deixaram de pagar ao governo federal.

Todo empregador precisa repassar à União mensalmente o equivalente a 8% do salário de cada um dos seus funcionários como FGTS.

Esse dinheiro é devolvido ao trabalhador posteriormente, em caso de demissão, compra de imóveis, doenças graves ou aposentadoria.

De acordo com relatório da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional ao qual a reportagem teve acesso, o maior devedor desse encargo no futebol brasileiro é o Botafogo.

O clube carioca deixou de depositar R$ 29,4 milhões de direitos trabalhistas dos seus funcionários. Não apenas jogadores de futebol, mas também outros trabalhadores.

O débito teve papel na debandada do time nos últimos meses. O lateral direito Lucas e o volante Gabriel, hoje no Palmeiras, além do meia Daniel, contratado pelo São Paulo, conseguiram rescindir seus contratos com o Botafogo devido a atrasos de salários e no depósito do FGTS.

No caso de inadimplência desse encargo, o funcionário não tem o valor reembolsado pelo governo. Ele só irá receber a quantia a quem tem direito se chegar a um acordo com seu empregador ou por uma decisão judicial.

"A atual gestão do Botafogo não coaduna com práticas ruins de gestões anteriores do clube. A nova diretoria, que tomou posse no dia 25 de novembro de 2014, cumprirá com todas as suas obrigações e não medirá esforços para equacionar as dívidas pregressas de qualquer natureza, inclusive e especialmente de natureza trabalhista", justificou o vice de finanças do clube, Bernardo Santoro, em nota enviada à reportagem.

Logo atrás do Botafogo aparece o Fluminense, que deve R$ 25,5 milhões só desse encargo trabalhista. De acordo com a assessoria de imprensa do clube, a dívida foi renegociada com o governo federal e está sendo paga.

Dos cinco maiores devedores de FGTS do futebol brasileiro, quatro são cariocas. O intruso é o Atlético-MG, que ocupa a quarta colocação no ranking, com R$ 10 milhões.

Só cinco dos integrantes da elite nacional estão com esse encargo em dia: Atlético-PR, Cruzeiro, Goiás, São Paulo e o Joinville, recém-promovido à primeira divisão nacional.

Outros clubes dois de Santa Catarina possuem dívidas inferiores a R$ 1 milhão: a Chapecoense (aproximadamente R$ 330 mil) e o Figueirense (quase R$ 20 mil).

Os valores devidos em FGTS fazem parte da dívida que os clubes e a CBF tentam renegociar com o governo federal. A primeira proposta foi vetada pela presidente Dilma Rousseff na semana passada. O governo promete criar em fevereiro uma nova Medida Provisória sobre o tema, que obrigue os clubes a assumirem contrapartidas para terem suas dívidas com a União refinanciadas.

Leia tudo sobre: dívidasclubesbotafogoatléticofgts