Renda do trabalhador cresce mais de 33% em 12 anos, diz IBGE

Rendimento médio habitual (sem levar em conta as rendas extras) dos ocupados era R$ 2.122.10 em dezembro do ano passado

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Organização Mundial do Trabalho aprovou uma convenção mundial que garante aos funcionários vários benefícios
Lalo de Almeida/The New York Times
Organização Mundial do Trabalho aprovou uma convenção mundial que garante aos funcionários vários benefícios

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a média anual da renda da população ocupada do país, descontada a inflação, cresceu 33,1%, entre 2003 e 2014, passando de R$ 1.581,31 para R$ 2.104,16, o que significa acréscimo de R$ 522,85.  A população ocupada inclui: os trabalhadores com Carteira de Trabalho, os que gerenciam pequenos negócios, os que trabalhavam sem remuneração em ajuda a membros da família e os informais

Os dados, que fazem parte da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), indicam, ainda, que de 2003 a 2014, o rendimento habitual (descontada a inflação) nos serviços domésticos foi o que teve o maior aumento (69,9%) entre os grupamentos de atividade pesquisados pelo instituto.

Em dezembro de 2014, o rendimento médio habitual (sem levar em conta as rendas extras) dos ocupados era R$ 2.122.10. Houve queda de 1,8% em relação a novembro (R$ 2.161,93) e alta de 1,6% em comparação a dezembro de 2013 (R$ 2.089,57).