Copiloto estava no comando no momento que avião da AirAsia caiu

A queda da aeronave durou cerca de três minutos, informaram nesta quinta-feira (29) fontes oficiais indonésias

iG Minas Gerais | Folhapress |

A prioridade para as equipes de busca, a pedido das autoridades, é localizar os cadáveres das vítimas
TATAN SYUFLANA / POOL / AFP
A prioridade para as equipes de busca, a pedido das autoridades, é localizar os cadáveres das vítimas

 No momento do acidente, quem estava no comando do avião da AirAsia que caiu no mar de Java em 28 de dezembro, com 162 pessoas a bordo, era o copiloto. Além disso, queda em si durou cerca de três minutos, informaram nesta quinta-feira (29) fontes oficiais indonésias.

O Comitê Nacional para a Segurança no Transporte da Indonésia indicou, em coletiva de imprensa, que toda a tripulação estava devidamente certificada do fato, segundo o jornal "The Straits Times".

O órgão também informou que o Airbus 320-200 estava em boas condições quando saiu de Surabaia (Indonésia) com destino a Cingapura.

O chefe de investigação do comitê, Mardojo Siswosuwano, assegurou que o registro de voo permite ter uma clara noção da situação dos últimos minutos antes do acidente, mas ainda não deu uma explicação sobre as das causas deste.

Segundo ele, o avião voava numa altura estável e dentro dos limites de peso e equilíbrio quando o piloto solicitou à torre de comando permissão para subir de 32 mil para 34 mil pés para amenizar os efeitos de uma tempestade que chegava a 44 mil pés.

Apesar de ter obtido permissão para subir até os 34 mil pés, o avião virou para a esquerda para subir até 37.400 pés em 30 segundos e logo voltou a descer até os 32 mil pés em outro meio minuto, antes de começar a cair.

As autoridades indonésias seguem buscando os corpos de 92 passageiros. 70 já foram encontrados.

Na terça (27), o Exército do país havia anunciado a suspensão dos trabalhos de busca. Ontem, porém, autoridades do país disseram que a operação vai continuar mesmo sem a ajuda dos militares.

Queda

O voo QZ8501 decolou da cidade de Surabaia às 5h20 locais do dia 28 de dezembro de 2014 e deveria chegar a Cingapura duas horas depois, mas caiu no mar de Java após 40 minutos de voo.

O piloto chamou a torre de controle na Indonésia quando sobrevoava o mar de Java pelo sul de Bornéu e solicitou permissão para virar à esquerda e subir desde 32 mil pés de altitude até os 38 mil para fugir de uma tempestade.

A permissão foi negada, já que havia outra aeronave nas coordenadas pedidas pelo piloto. Entretanto, a torre autorizou que o voo subisse para os 34 mil pés instantes depois, mas não conseguiu mais contato com a aeronave.

O Airbus 320-200 transportava três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malasiano, um cidadão de Cingapura e 155 indonésios, entre passageiros e uma tripulação de sete pessoas.