Ministério avalia novas estratégias para Aids

Dados mostram que 45% dos brasileiros admitem não usar camisinha

iG Minas Gerais |

Brasília. O Ministério da Saúde admitiu ontem que precisa rever suas estratégias de combate e prevenção à Aids e a outras doenças sexualmente transmissíveis.

A pasta divulgou ontem uma pesquisa com base em dados de 2013 que mostra que 94% da população sexualmente ativa reconhece a eficiência da camisinha como prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST/Aids). Porém, 45% dos entrevistados admitem que não recorreram ao método nos 12 meses anteriores ao levantamento, que foi feito com 12 mil pessoas.

O resultado foi divulgado ontem, durante lançamento de campanha de prevenção de DST/Aids durante o período de Carnaval.

“Isso significa, de maneira muito contundente, que não podemos continuar lidando na sociedade brasileira apenas com o preservativo. É uma mensagem muito clara. A camisinha perde seu espaço? Em hipótese alguma. Mas precisaremos lidar com outras estratégias”, afirmou ontem o ministro da Saúde, Arthur Chioro, diante dos dados.

O levantamento divulgado pelo ministério também mostra que a porcentagem de pessoas que tiveram mais de cinco parceiros eventuais no último ano subiu de 9,3%, em 2008, para 12,1% em 2013. A população sexualmente ativa com mais de dez parceiros na vida subiu de 25,9%, em 2008, para 43,9%, em 2013.

Campanha

Com o tema #partiuteste, a campanha lançada ontem pelo governo federal pretende atingir jovens de 15 a 25 anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave