Morre aos 85 a atriz e cineasta Vanja Orico, 'musa do Ciclo do Cangaço

Carioca sofria do mal de Alzheimer há alguns anos e estava internada desde o dia 11 no hospital Copa d'Or, no Rio de Janeiro

iG Minas Gerais | Folhapress |

Morre aos 85 a atriz e cineasta Vanja Orico, 'musa do Ciclo do Cangaço'
Divulgação
Morre aos 85 a atriz e cineasta Vanja Orico, 'musa do Ciclo do Cangaço'

Morreu nesta quarta (28), aos 85, a cantora, atriz e cineasta Vanja Orico. A carioca sofria do mal de Alzheimer há alguns anos e estava internada desde o dia 11 no hospital Copa d'Or, no Rio de Janeiro. Segundo a assessoria do hospital, Vanja sofreu complicações em decorrência de um câncer de intestino. O enterro será nesta quinta-feira (29), às 16h, no cemitério São João Batista, na zona sul do Rio.

Vanja ganhou projeção no cinema durante o chamado Ciclo do Cangaço, movimento entre as décadas de 1950 e 1970 que buscava retratar a realidade social e política do Nordeste brasileiro. Ela interpretou a canção "Mulher Rendeira", tema de "O Cangaceiro" (1953), filme de Lima Barreto, e participou de longas como "Lampião, O Rei do Cangaço" (1965), "Cangaceiros de Lampião" (1967) e "Jesuíno Brilhante, o Cangaceiro" (1972).

Além disso, Vanja atuou no longa "Mulheres e Luzes" (1950), dirigido pelos italianos Federico Fellini (1920-1993) e Alberto Lattuada (1914-2005).

Durante a ditadura militar brasileira, em 1968, ela participou dos protestos contra a morte do estudante Edson Luís e foi presa após ajoelhar-se diante de um carro do Exército e dizer: "Não atirem, somos todos brasileiros".

Nos últimos anos, Vanja foi dirigida por seu único filho, o cineasta e produtor de TV Adolfo Rosenthal, nos telefilmes "As Mãos de Meu Filho" (2010) e "O Crime e o Burguês" (2013).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave