Justiça determina que prefeitura de Santa Luzia cuide de teatro rural

Liminar impõe adoção de medidas urgentes para promover a conservação do Teatro São Francisco, na zona rural da cidade

iG Minas Gerais | FELIPE CASTANHEIRA |

O Teatro São Francisco foi reformado em 2007 e já se encontra em estado de abandono.
Divulgação / Comunicação TJMG
O Teatro São Francisco foi reformado em 2007 e já se encontra em estado de abandono.

A prefeitura de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte terá que tomar medidas urgentes para proteger o Teatro São Francisco, localizado na zona rural da cidade é que se encontra em mau estado de conservação. A determinação foi dada pela juíza Fabiana Gonçalves da Silva Ferreira de Melo, da comarca de Santa Luzia e da partiu de uma liminar emitida pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais no dia 5 de dezembro e divulgado pela entidade nesta terça-feira(27).

Localizado ao lado da sede da Fazenda Taquaraçu de Baixo, o Teatro São Francisco foi restaurado em 2007 e tombado pelo município em 2008, mas já não é mais usado pela população local e hoje está tomado pelo mato, com várias telhas quebradas e o jardim abandonado. De acordo com a ação movida pela Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural de Santa Luzia e da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, o local é um importante referencial do teatro rural e deveria estar sendo usado para a realização de eventos culturais.

A promotoria também destacou que a construção possuí um desenho arquitetônico singular, considerado como espaço de memória da comunidade. O uso do espaço é definido pelo plano municipal de cultura de Santa Luzia.

Entre as medidas que devem ser adotadas em carater de urgência estão a capina e limpeza do entorno do teatro; a manutenção do jardim, reorganização do paisagismo; a revisão e substituição das telhas quebradas ou fora do lugar. Além disso também deve ser apresentado um cronograma para a integração do teatro aos equipamentos culturais geridos pela Secretaria Municipal de Cultura, com programação que garanta seu funcionamento.

Questionada sobre a adoção das medidas e o prazo para a adequação do local, a prefeitura de Santa Luzia não respondeu à reportagem. Ainda não há previsão para a data do julgamento da ação. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave