Agentes libertados por Obama lideraram Marcha das Tochas em Havana

Os agentes, que ficaram presos durante 16 anos por espionagem, e milhares de estudantes cubanos participaram na homenagem a Martí

iG Minas Gerais | AFP |

Agentes cubanos, soltos pelos EUA, participam de passeata em havana
AFP
Agentes cubanos, soltos pelos EUA, participam de passeata em havana

Dois agentes cubanos libertados pelos Estados Unidos em dezembro, em uma troca realizada em função da histórica aproximação entre os dois países, lideraram na noite de terça-feira a chamada "Marcha da Tocha", pelo aniversário de nascimento do herói nacional José Martí.

Os agentes, que ficaram presos durante 16 anos por espionagem, e milhares de estudantes cubanos participaram na homenagem a Martí (1853-1895), que reproduz um desfile ilegal organizado na noite de 27 de janeiro 1953 por Fidel Castro e outros jovens revolucionários em desafio a então ditador Fulgencio Batista.

Os agentes Gerardo Hernández e Antonio Guerrero - que voltaram à ilha depois de uma troca com um espião cubano a serviço de Washington que estava preso em Cuba - marcharam juntos a membros da cúpula cubana, mas sem a presença dos irmãos Fidel e Raúl Castro.

A "Marcha das Tochas" é o segundo ato mais importante do país, depois do desfile de Primeiro de Maio. Costuma reunir cerca de 20.000 pessoas, mas este ano foi marcado pelo otimismo de que a aproximação Cuba-Estados Unidos traga tempos melhores para os cubanos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave