Ofensa a Fabiana não foi o único ato de preconceito no vôlei em Minas

Casos como o racismo ao oposto do Sada, Wallace, e homofobia ao central Michael, ex-Vôlei Futuro, também se deram no Estado

iG Minas Gerais | DÉBORA HELENA* E THIAGO PRATA |

Luiz Pires/Vipcomm
undefined

Na noite desta terça-feira, quando Camponesa-Minas e Sesi-SP jogaram pela Superliga feminina, a central do time paulista, a mineira Fabiana, foi alvo de insultos racistas de um torcedor, que foi retirado da Arena Minas. Infelizmente, este não foi o único caso de preconceito a acontecer no Estado.

Em 2011, o então central do Vôlei Futuro-SP, Michael, foi chamado de 'bicha' por parte da torcida do Sada Cruzeiro, no ginásio do Riacho. O time celeste acabou sendo multado em R$ 50 mil pelo caso.

Em 2012, o oposto Wallace, do Sada, foi vítima de racismo durante o clássico mineiro com o Minas. Durante o segundo set, após o jogador marcar um ponto a favor do Sada, uma torcedora gritou da arquibancada “Wallace, seu macaco, volta para o zoológico”. Ao longo da partida, o oposto foi chamado de macaco.

Após a partida, o oposto afirmou em entrevistas que ficou revoltado com a situação e que o fato tirou a sua concentração ao longo da partida. O Cruzeiro levou o caso à Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), mas nenhuma punição foi aplicada ao Minas e aos torcedores envolvidos.

*Com supervisão de Leandro Cabido

Leia tudo sobre: FabianaMichaelWallaceSada CruzeiroMinas Tênis Clube