Yahoo! vai separar suas ações no Alibaba para fugir de impostos

Medida trata-se de uma resposta às pressões para que a companhia passe para a frente sua fatia no negócio, avaliada em cerca de US$ 40 bilhões

iG Minas Gerais | Folhapress |

Yahoo! vai separar suas ações no Alibaba para fugir de impostos
Reprodução
Yahoo! vai separar suas ações no Alibaba para fugir de impostos

O Yahoo! revelou nesta terça-feira (27) um plano para separar sua participação de 15% na empresa de comércio eletrônico chinesa Alibaba. Trata-se de uma resposta às pressões para que a companhia passe para a frente sua fatia no negócio, avaliada em cerca de US$ 40 bilhões. Essas ações serão usadas para formar uma nova empresa, evitando taxas e impostos com a transação.

Acionistas avaliam que o Yahoo! e sua participação no Alibaba valeriam mais separadamente, contanto que as ações do Alibaba não estejam sujeitas à taxa fiscal de 35% que incorreria em sua venda.

O Yahoo! vendeu uma grande participação no Alibaba em setembro, quando a companhia chinesa fez a oferta pública de ações na Bolsa. A empresa norte-americana ganhou US$ 10,3 bilhão com a venda, mas quase 40% foram perdidos com impostos, de acordo com o jornal "New York Times".

"É o melhor resultado possível", afirmou o analista Colin Gillis, do BGC Partners. "O ponto principal é que o dinheiro vai para os acionistas, e não será gasto em aquisições." O valor de mercado do Yahoo!, de US$ 45 bilhões, enquanto sua fatia no Alibaba é de cerca de US$ 40 bilhões, significando que o atual preço das ações do Yahoo! atribui pouco valor ao negócio principal. Alguns investidores acreditam que o e-mail, o site e outras operações valem entre US$ 7 bilhões e US$ 8 bilhões.

A receita do Yahoo!, excluindo taxas pagas a sites parceiros, caiu 1,8% nos últimos três meses de 2014, na comparação anual, para US$ 1,18 bilhão, um pouco abaixo das expectativas do mercado financeiro. A média de analistas consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S apontava para receita ajustada de US$ 1,185 bilhão.

Apesar de ser vantajosa para o Yahoo! do ponto de vista fiscal e permitir uma simplificação de estrutura, a seperação vai colocar pressão sobre Marissa Mayer, presidente-executiva da companhia. Ela terá de fortalecer os negócios de mídia e publicidade da companhia, que apresentam queda de receita.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave