Presidente promete reforma política no primeiro semestre

Petista disse que cabe ao governo “impulsionar” o debate

iG Minas Gerais |

Tangente. 
Dilma repetiu assuntos do discurso de posse, sem se aprofundar nas primeiras ações
Roberto Stuckert Filho/PR
Tangente. Dilma repetiu assuntos do discurso de posse, sem se aprofundar nas primeiras ações

São Paulo. A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça, na primeira reunião com a nova equipe ministerial, que colocará o debate sobre a reforma política no primeiro semestre deste ano. Para Dilma, que já recuou da intenção de fazer um plebiscito sobre o assunto logo após ser reeleita, disse que cabe ao governo “impulsionar” essa mudança no sistema político-eleitoral.

A petista defendeu ser preciso discutir novas formas de financiamento de campanha. Ela afirmou esperar que cada um dos ministros dialogue com o Congresso e com a sociedade. Disse ainda que conta com eles para honrar todas as expectativas do eleitor. “Por fim, espero de todos muita dedicação, muita cooperação entre os ministérios, desejo muita sorte e muito sucesso a todos”, destacou Dilma.

A presidente afirmou que defenderá um pacto nacional contra a corrupção que envolva outras esferas de poder. O pacote, disse, será encaminhado pelo governo ao Congresso em fevereiro. Esse pacto foi uma das promessas de campanha de Dilma, embora boa parte das iniciativas já tramitem no Legislativo.

Entre as propostas que serão encaminhadas, constam: a punição para os agentes públicos que enriquecerem sem justificativa; tornar crime passível de prisão a prática de caixa 2; confisco de bens adquiridos de forma ilícita; criar um sistema que permita acelerar julgamentos nos casos de desvio de recursos públicos; e criar uma nova estrutura para agilizar julgamento de pessoas que tenham foro privilegiado. “Nós seremos implacáveis no combate aos corruptores e os corruptos”, afirmou Dilma.

A presidente avaliou ainda que o Brasil continua sendo uma economia continental, diversificada, com grande mercado interno e trabalhadores versáteis. “Estamos habilitados a aproveitar as oportunidades que temos diante de nós”, disse.

Dilma voltou a classificar o Brasil como sétima economia do mundo, o segundo maior exportador agrícola, o quinto destino de investimentos estrangeiros e o sétimo em reservas cambiais. “O Brasil continua sendo um país com grandes oportunidades de investimentos”.

Sigilo

Clima. A primeira reunião ministerial ocorreu em clima de vigilância total.

Acesso. Os ministros foram proibidos de levar seus assessores de imprensa para o encontro. Precaução. Dilma queria evitar vazamentos do conteúdo da reunião e, para isso, proibiu os assessores. Procedimentos.Nas reuniões ministeriais realizadas na Granja do Torto, os assessores ficam em uma sala anexa à do encontro dos ministros com a presidente.

Inflação Meta. Dilma disse que a inflação se manteve dentro dos limites das metas do primeiro mandato. “O Banco Central está adotando as medidas necessárias para o controle da inflação”, afirmou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave