Justiça autoriza internação hospitalar de executivo da Galvão Engenhar

Defesa de Erton Medeiros Fonseca alegou que ele já estava em tratamento de um tumor maligno, que foi interrompido após ele ser preso, em 14 de novembro

iG Minas Gerais | Folhapress |

A Justiça Federal no Paraná autorizou a internação hospitalar de Erton Medeiros Fonseca, executivo da Galvão Engenharia que está preso no âmbito da Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção na Petrobras.

A defesa do executivo enviou petição à Justiça solicitando a internação para esta quinta-feira (29), às 12h, para retirada de lesões provocadas por um melanoma --tumor maligno. Segundo a defesa, ele já estava em tratamento, que foi interrompido após ele ser preso, em 14 de novembro.

A advogada Maria Francisca Accioly, que assina a petição, afirma que a cirurgia tem caráter emergencial, "já que não há previsão para sua liberdade e pronta realização da cirurgia médica".

Fonseca deve permanecer internado por 24 horas. Também foi solicitado que sua mulher possa acompanhá-lo no período em que estiver internado e que ele possa receber a visita de parentes, o que foi atendido, desde que obedecida a segurança da guarda e da escolta determinada pela Polícia Federal.

A Justiça, porém, proibiu o executivo de ter acesso a aparelhos de telefone e outros meios de comunicação, como internet. Também foi autorizado o retorno à clínica no dia 2 de fevereiro, para a realização de curativos. A defesa havia solicitado outro retorno no dia 9 de fevereiro, para retirada de suturas, o que não foi aceito. O juiz Sergio Moro, que assina o despacho, afirmou que já há audiência marcada para o dia e determinou que o médico aponte outra data para o procedimento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave