Crise está pior do que a maior seca registrada no Paraíba no Sul

Antunes explica que já está sendo feito a algum tempo o ajuste da vazão objetiva, em Santa Cecília, onde ocorre a transposição do Paraíba do Sul para o Sistema Guandu

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Com o nível dos reservatórios em queda a cada dia, a estiagem no Rio Paraíba do Sul é a pior já registrada. De acordo com o diretor executivo do Comitê Guandu, Julio Cesar Antunes, que participou hoje (27) da reunião do Grupo Técnico de Acompanhamento de Operações Hidráulicas, a situação está 25% pior do que a maior seca registrada até então.

“A preocupação maior, apresentada em função das previsões, é que estamos vivendo um período de escassez hídrica. Se compararmos com o pior janeiro que tivemos, em 1953, estamos numa situação 25% pior. É uma coisa totalmente diferente e atípica em relação a tudo já monitorado, catalogado e vivido", acrescentou.

Participaram da reunião representantes de órgão federais, de São Paulo e do Rio de Janeiro, ligados às áreas de meio ambiente, gestão de águas e energia. De acordo com o boletim diário da Agência Nacional de Águas (ANA), o Sistema do Paraíba do Sul está com 0,61% do volume útil total, somando Santa Branca, Paraibuna, Jaguari e Funil, sendo que os dois primeiros já entraram no volume morto. Ontem (26), o volume total dos quatro reservatórios estava em 66%.

Antunes explica que já está sendo feito a algum tempo o ajuste da vazão objetiva, em Santa Cecília, onde ocorre a transposição do Paraíba do Sul para o Sistema Guandu, e na quinta-feira (29) haverá mais uma reunião para avaliar se novas medidas serão necessárias.

De acordo com Antunes, os atores apresentaram as medidas que estão sendo adotadas. Foi apresentado um cronograma que vai se consolidar na reunião de quinta-feira. Ocasião em que, segundo ele, será definido o que pode ser feito para otimizar ou não o uso da água. "Vai ser apresentado um planejamento em cima da avaliação de todos os números. Hoje foram apresentados os números do sistema como um todo e a projeção que tem com relação a esse cenário, já que estamos em um período de estiagem”, ressalvou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave