Governo faz balanço de 30 dias

Gestão petista quer passar pente-fino nos dados divulgados pelos tucanos

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda Lucas Pavanelli |

Repasse. Secretariado de Fernando Pimentel repassou ações dos primeiros dias e cortes de gastos feitos
RICARDO MALLACO / O TEMPO
Repasse. Secretariado de Fernando Pimentel repassou ações dos primeiros dias e cortes de gastos feitos

O governador Fernando Pimentel (PT) reuniu os secretários de Estado no fim da tarde de ontem na Cidade Administrativa para fazer um balanço das ações tomadas em cada pasta nesses quase 30 dias de governo e receber os repasses de cada secretário e de seus técnicos a respeito das mudanças já implementadas na administração. A reunião, de caráter extraoficial, ocorreu a portas fechadas e não constou na agenda do governador ou dos titulares das pastas.

Perto de completar um mês de gestão, os secretários informaram a situação em que encontraram as pastas e os cortes já realizados. O foco do governo, neste momento, é com relação a três áreas: saúde, educação e segurança pública.

Segundo uma fonte ligada ao governo, a atual gestão quer passar um pente-fino nos dados, informações e contas, principalmente nesses setores, porque “não confia na metodologia utilizada pela gestão anterior”.

Na última sexta-feira, o secretário de Defesa Social Bernardo Santana (PR) já havia deixado escapar que as apurações realizadas por meio de auditorias no governo tinham objetivo de deixar às claras a situação de cada secretaria, já que os titulares precisavam “trabalhar com os dados certos”.

Até o momento, os cortes de pessoal ocorreram em algumas pastas e começaram nas de maior visibilidade, como forma de adequar a ordem dada por Pimentel de deixar 25% dos cargos em comissão desocupados. O foco inicial foi a Secretaria de Governo, e, em seguida, será a de Planejamento e Gestão. Já as pastas de Desenvolvimento Econômico e de Transportes e Obras Públicas sofreram baixas na última semana, com a exoneração de dezenas de comissionados em cada uma delas.

Uma das mudanças propostas por Pimentel na véspera de assumir o governo, a extinção do Escritório de Prioridades Estratégicas e a criação do Escritório de Projetos também já teve andamento. As demissões de 86 funcionários do setor já ocorreram.

Auditorias. Durante almoço em apoio à candidatura de Arlindo Chinaglia (PT) à presidência da Câmara, Pimentel afirmou que as auditorias iniciadas nos primeiros dias de governo em todas as secretarias estão em andamento, mas que o prazo de 90 dias estipulado inicialmente pode variar. “Não é fixo”, disse.

Em abril

Início. A tônica do atual governo tem sido de que o mandato só começa em abril, quando o diagnóstico das gestões passadas vier à tona. Após esse prazo, será dada visibilidade aos dados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave