Para políticos russos, crise é boa oportunidade para fazer dieta

Em 2014, os preços subiram mais de 11% e no caso dos alimentos houve um aumento de aproximadamente 15%

iG Minas Gerais | AFP |

Comam menos, pintem os lábios com beterraba, utilizem roupa íntima de algodão russo: essas são alguns dos conselhos dados aos russos para enfrentar a crise. 

"Se o dinheiro não der, lembre que somos russos, que superamos a fome e o frio, que temos que pensar na nossa saúde e comer menos", disse Ilia Gaffner, um deputado da região de Sverdlovsk, na Sibéria, a uma senhora que se queixou de não poder comprar açúcar para seu filho doente. 

Em 2014, os preços subiram mais de 11% e no caso dos alimentos houve um aumento de aproximadamente 15%. Espera-se que a escalada aumente nos próximos meses.

Alguns produtos de primeira necessidade, como carne, pescado, açúcar, repolho, queijo, ovos e arroz encareceram entre 10% e 50% por causa das sanções ocidentais e da queda do preço do petróleo.

Devido à inflação galopante, muitos russos reagiram irados às declarações do deputado, que precisou se desculpar publicamente.

Depois do pedido de desculpas, contudo, outro político sugeriu que os russos aproveitem a crise para fazer dieta.

"Vamos superar todos os obstáculos no nosso país, vamos comer menos, gastar menos energia", disse o vice-primeiro-ministro Igor Shuvalov no Fórum de Davos.

Shuvalov explicou que "o plano anticrise é fazer com que os cidadãos comuns e os empresários se adaptem à nova realidade".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave