Alckmin vai abrir licitação para obra de captação do rio Paraíba na 6ª

A obra, que faz parte dos projetos para combater a falta de água em São Paulo, está prevista para durar um ano e meio e será usada para abastecer as represas do sistema Cantareira

iG Minas Gerais | Folhapress |

Governador de São Paulo continua internado no InCor
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO – 5.5.2013
Governador de São Paulo continua internado no InCor

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (26) que abrirá licitação na próxima sexta-feira (30) para a transposição de parte do rio Paraíba do Sul.

A obra, que faz parte dos projetos para combater a falta de água em São Paulo, está prevista para durar um ano e meio e será usada para abastecer as represas do sistema Cantareira. Alckmin não informou o valor da obra nem quando ela deve começar.

No dia 23 de janeiro, a presidente Dilma Rousseff incluiu a obra de interligação do reservatório Jaguari-Atibainha nos projetos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Com esta medida, a obra em São Paulo poderá ser contratada mais rapidamente pelo sistema de RDC (Regime Diferenciado de Contratação), agilizando a sua execução.

Além disso, por estar na carteira de projetos do PAC, o empreendimento poderá contar com financiamento garantido de bancos públicos, do BNDES ou da Caixa Econômica Federal.

A obra de transposição foi pedida por Alckmin ao governo federal em março do ano passado. No fim do ano, o governador voltou a solicitar ajuda da União para viabilizar a obra.

Em reunião com Dilma no Planalto em novembro, o tucano apresentou um pacote para a realização de oito obras de infraestrutura, nos próximos três anos, ao custo de R$ 3,5 bilhões. Um grupo de trabalho chegou a ser formado para analisar as propostas e deliberar sobre os investimentos.

ÁGUA DA BILLINGS

O governador também não disse quando vai passar a retirar mais água da represa Billings para socorrer o Cantareira. Como saída para amenizar a crise da água, Alckmin quer usar a água da represa Billings para reduzir os impactos da crise que atinge a Grande São Paulo.

Contudo, a represa Billings tem lixo acumulado em diversos pontos e água esverdeada pela proliferação de bactérias. "Isso aqui é um horror, só piorou nos últimos anos", diz a empresária Cornélia Juchem, de Diadema. A Sabesp diz ser possível transformar a água em potável, mas não detalha o que fará.

O governador paulista já discute novo aumento na tarifa de água a partir de abril, quatro meses após o último reajuste. Outra hipótese estudada é o endurecimento da cobrança de sobretaxa para quem gastar mais água. Além disso, o governo paulista já considera utilizar a terceira cota do volume morto do Cantareira.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave