Nisman foi traído por um agente do serviço secreto, diz deputada

A deputada ainda informou que Alberto se recusou a dar os nomes naquele momento, e afirmou que só o faria quando estivessem em uma reunião reservada no Congresso

iG Minas Gerais | da redação |

Procurador argentino, Alberto Nisman, foi encontrado morto nesta segunda-feira (19) dentro do seu apartamento, em Buenos Aires
LA NACION / Fabián Marelli
Procurador argentino, Alberto Nisman, foi encontrado morto nesta segunda-feira (19) dentro do seu apartamento, em Buenos Aires

Segundo a deputada do Partido Justicialista, Patricia Bullrich, afirmou na manhã desta segunda-feira (26), que o promotor Alberto Nisman estava sofrendo ameaças. Ela disse que Nisman recebeu uma ligação em que afirmava que um oficial do serviço secreto argentino o havia traído.

A deputada ainda informou que Alberto se recusou a dar os nomes naquele momento, e afirmou que só o faria quando estivessem em uma reunião reservada no Congresso.

Bullrich, que pertence ao mesmo partido da presidente Kirchner, é a presidente da Comissão de Legislação Penal de Deputados, local aonde o promotor iria comparecer na segunda (19), entretanto ele morreu na noite anterior. O motivo da morte ainda não foram descobertos pela polícia portenha.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave