Árvore condenada aterroriza moradora em período chuvoso

A castanheira que está em risco de cair espera pelo corte há quase 10 meses; prefeitura diz que não pode prometer uma data para cortá-la para não frustrar expectativas

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

No último de fim de semana, uma árvore de grande porte caiu em cima de um ponto de ônibus, na mesma rua da denunciante
ALYSSON PAULO DE ALMEIDA
No último de fim de semana, uma árvore de grande porte caiu em cima de um ponto de ônibus, na mesma rua da denunciante

Com várias ocorrências de árvores caindo por causa das chuvas em Belo Horizonte, uma moradora do bairro Salgado Filho, na região Oeste da capital, tenta, há três anos, que uma castanheira em frente a casa dela seja cortada ou pelo menos podada.

"Já fiz vários pedidos de avaliação da árvore, uma técnica já avaliou a espécie, que foi condenada em abril do ano passado. Mas até agora a prefeitura não fez nada. Se essa árvore cair vai ser em cima do meu telhado, da minha cerca elétrica, da minha garagem", conta a arquiteta Poliana Aparecida Oliveira, de 32 anos.

No último sábado (24), uma árvore caiu em cima de um ponto de ônibus, bem perto da casa de Poliana, na rua Zurick. "A sorte é que não tinha ninguém no ponto, porque se não poderia ser pior. Foi só assim que eles retiraram a árvore", conta ainda a arquiteta.

Ainda segundo Poliana, após procurar a ouvidoria para relatar o problema, ela teve como resposta que a prefeitura não iria prometer que iria fazer o corte para não frustar a expectativa dela, uma vez que vários pedidos semelhantes costumam acontecer no período chuvoso.

"Isso foi em maio do ano passado, e eles disseram para aguardar. Já estamos em janeiro, ou seja, aguardando há nove meses e nada até agora. Eu peço para cortar essa árvore desde que me mudei para cá, em 2012, quando ela já havia destruído o muro e o passeio", relata.

No último formulário da ouvidoria, a resposta da prefeitura foi que "após vistoria realizada pelo técnico da Gerjav-o em 12/05/2014, foi constatada a necessidade de supressão da árvore castanheira, conforme laudo abaixo: recomendamos a supressão de uma castanheira de grande porte em estado decadente, base descascada. O serviço consta na programação da Gervaj-o conforme atendimento por território".

Quase 10 meses depois a árvore ainda não foi cortada. A prefeitura, por meio da regional Oeste, respondeu a denunciante que "em função da grande quantidade de demandas recebidas, está se esforçando para realizar o cronograma de podas, supressões e destocas da maneira mais célere e satisfatória possível. Entretanto, justamente em razão do grande número de pedidos acumulados, a SARMU-O julga não ser prudente a fixação de datas para atendimento das solicitações de serviço,  para não gerar uma expectativa e frustrá-la, tendo em vista os inúmeros imprevistos que ocorrem nas questões ligadas ao meio ambiente, o que pode acarretar adiantamento ou atraso nas execuções".

Questionada pela reportagem sobre o motivo da demora em solucionar o problema, a prefeitura ainda não se posicionou.