Superada pela Mercedes, Renault quer ao menos cinco vitórias em 2015

Equipe francesa espera diminuir a perda de potência para os motores da concorrente alemã

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Cyril Abiteboul informou que a Renault já está aprimorando os motores para 2015
Divulgação/ FIA
Cyril Abiteboul informou que a Renault já está aprimorando os motores para 2015

Depois de conquistar quatro títulos consecutivos com a Red Bull, a Renault viu sua hegemonia na F-1 chegar ao fim em 2014. As equipes empurradas pelos motores Mercedes dominaram a categoria no ano passado.

Mas nem por isso a fabricante francesa tem planos modestos para a temporada que começa no dia 15 de março, no GP da Austrália, e cujos primeiros testes acontecem já no próximo domingo, em Jerez de la Frontera, na Espanha.

"Nosso objetivo é conseguir ao menos cinco vitórias neste ano", afirmou Cyril Abiteboul, diretor da Renault, à rede de TV francesa Canal+.

"Estimamos que nossa perda para a Mercedes, no fim da temporada passada, era de cerca de 60 bhp [potência de freio]. Esperamos diminuir isso pela metade já na abertura do Mundial deste ano. Ao contrário da Mercedes, nós vamos começar o campeonato de 2015 com a versão de 2014 de nossos motores. Até aqui, já usamos cerca de dois terços dos componentes que podemos mudar em nossos propulsores neste ano", completou o dirigente.

No ano passado, apesar da supremacia da Mercedes, a Renault conseguiu fechar o ano com três vitórias, todas elas conquistadas por Daniel Ricciardo, da Red Bull, que venceu os GPs de Canadá, Hungria e Bélgica.

Porém, desde o início do ano, ainda durante a pré-temporada, a fabricante francesa sofreu com uma série de problemas em seus propulsores, o que fez com que passasse o ano todo correndo atrás da concorrência, já que seu desenvolvimento acabou sendo prejudicado.

Para 2015, a Renault teve uma redução de 50% no número de equipes para as quais fornecerá seus propulsores.

Foram mantidas Red Bull e Toro Rosso. A Lotus passará a usar os motores Mercedes neste ano e a Caterham ainda não sabe se irá disputar o Mundial.

Leia tudo sobre: formula 1Cyril Abiteboulrenaultemporada 2015