No aniversário da revolução, 15 pessoas morrem no Egito

Opositores do governo de Abdel Fattah al-Sissi entraram em confronto com a polícia ontem

iG Minas Gerais |

Praça Tahrir. No  epicentro da revolta de 2011,  um forte esquema de segurança monitorava a ação dos manifestantes no Cairo
MOHAMED EL-SHAHED
Praça Tahrir. No epicentro da revolta de 2011, um forte esquema de segurança monitorava a ação dos manifestantes no Cairo

Cairo, Egito. Pelo menos 15 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas ontem no Egito em confrontos entre manifestantes e polícia, no dia em que o país comemorava o quarto aniversário da revolta de 2011, que tirou Hosni Mubarak do poder.

Ao menos doze das mortes foram registradas na região de Al Matariya, nos arredores do Cairo, uma em na região de Gizé e outra em Alexandria.

Para marcar o quarto aniversário do levante popular, partidários do ex-presidente islamita Mohamed Mursi convocaram protestos contra o regime do atual presidente e ex-chefe do Exército, Abdel Fattah al-Sissi.

No norte do Cairo, dois manifestantes islamitas morreram em confrontos com a polícia, e seis policiais ficaram feridos por balas de chumbo – segundo autoridades de segurança.

Um terceiro manifestante que estava armado e teria aberto fogo contra a polícia durante uma manifestação na cidade de Alexandria também foi morto.

Na capital, a praça Tahrir, epicentro da revolta de 2011, estava sendo monitorada por um forte esquema de segurança. Algumas dezenas de simpatizantes de Sissi se reuniram perto do local, levando bandeiras egípcias e gritando “viva o Egito”. “É o funeral da revolução”, lamentou Mamdouh Hamza, figura importante do movimento de 2011 que estava perto do ato. “A situação não melhorou e nada mudou desde que Sissi assumiu o poder”, criticou.

Em todo o Cairo, onde as ruas estavam desertas e policiais armados com submetralhadoras vigiavam as principais avenidas do centro da cidade, manifestantes islamitas queimaram um posto da polícia.

O sábado já havia sido sangrento, marcado pela morte de uma manifestante no centro do Cair.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave