Aguardando Dilma, servidores ficam subaproveitados no STF

iG Minas Gerais |

Há seis meses, o ministro Joaquim Barbosa trocou o gabinete no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo sofá de casa. A aposentadoria abriu um vaga na Corte máxima do Judiciário brasileiro que até hoje não foi preenchida. E enquanto a presidente Dilma Rousseff não escolhe seu substituto, servidores daquele gabinete estão subaproveitados.

Ainda que os comissionados tenham sido demitidos e alguns efetivos remanejados para outras funções, 12 servidores com vínculo de estabilidade seguem lotados no espaço, aguardando que o Palácio do Planalto nomeie o novo ministro.

Desde agosto os salários desses servidores custaram R$ 923,8 mil, se considerado o vencimento bruto. Eles receberam, líquidos, R$ 593,7 mil.

De acordo com o STF, os funcionários remanescentes estão “prestando auxílio no inventário e manutenção dos processos em estoque”.

“Via de regra, esse serviço é mantido para que o futuro ministro receba o gabinete com histórico dos processos e com servidores que já conhecem o funcionamento do Tribunal. Ressalte-se que, entre os servidores que permanecem no gabinete, não há ocupantes de funções de confiança”, afirma o STF.

Em média, um gabinete de ministro possui 20 servidores efetivos, o que significa que quase dois terços permanecem lá, mesmo com o gabinete vago.

Não é a primeira vez que a presidente Dilma Rousseff demora a nomear um ministro do STF. Quando Eros Grau se aposentou, em agosto de 2010, o cargo ficou vago até fevereiro do ano seguinte. Dinis sem partido Embora insista em negar oficialmente, após deixar a presidência da Assembleia de Minas, no dia 1º, e ficar sem mandato, Dinis Pinheiro deve se desfiliar do PP e ficar algum tempo sem legenda. A ideia, segundo uma fonte próxima ao deputado, é ficar “livre, leve e solto” para possíveis candidaturas nas eleições municipais de 2016 – o deputado teria interesse em disputar a Prefeitura de Belo Horizonte no próximo ano – e nas estaduais de 2018. Como já mostrou O TEMPO, a possibilidade de Dinis ir para o novo partido PL é real, mas não deve ocorrer de forma imediata após a criação da nova sigla. Uma legenda que também pode estar na mira do atual presidente da Assembleia mineira, caso o PL não vingue, é o PSB, do prefeito Marcio Lacerda.

Empreiteiras A Mendes Júnior é alvo de um pedido de falência na Justiça de São Paulo. A SH Formas Andaimes e Escoramentos pediu que seja decretada a falência da empreiteira belo-horizontina em função de uma dívida milionária que tem a receber. Os valores não foram revelados pela SH, que confirma o pedido. A construtora é um dos alvos da operação Lava Jato. Preso em novembro, o vice-presidente da firma, Sérgio Mendes, segue sob a custódia da Polícia Federal, em Curitiba. O processo foi aberto por medo de a Mendes Júnior não ter como honrar a dívida. A empreiteira informou que ainda não foi notificada, mas uma fonte de dentro da companhia afirma que o comando da empreiteira sabe do processo e está em negociação com a fornecedora para chegar a um acordo.

 

FOTO: André Fossati/Coligação Todos por Minas Tucano fica. Samuel Marcelino de Oliveira Junior, o primeiro à esquerda caminhando ao lado do carro de campanha de Pimenta da Veiga (PSDB), é mais um tucano a permanecer no governo. Chefe de gabinete da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), ele ainda foi designado para responder interinamente pela pasta até o dia 31 de janeiro. O que intriga alguns agentes é justamente o que mostra a foto, registrada em Ribeirão das Neves na véspera da eleição. Ele chegou a se afastar por uns dias para ajudar Pimenta, e sempre foi próximo dos tucanos. A explicação que eles dão para sua permanência é o fato de o vice-governador atual ter sido padrinho de casamento de seu irmão. Os dois se conhecem pelo menos desde 1989.

Lula e Mujica virão Fontes no PT mineiro garantem que o ex-presidente do Uruguai, José “Pepe” Mujica, já aceitou o convite para participar do evento que irá celebrar os 35 anos da sigla, e que acontecerá em Belo Horizonte. O ex-presidente Lula também confirmou que a presença aos companheiros de partido. A comemoração acontecerá nos dias 6 e 7 do próximo mês, como já informou o Aparte. A presidente Dilma Rousseff, governadores e senadores também são esperados. Embora ainda não seja confirmado pela legenda, o evento deve acontecer no Minascentro.

 

Equipe desfalcada Uma volta pela Cidade Administrativa mostra como o ritmo das exonerações está acelerado. As repartições das secretarias estão lotadas de cadeiras vazias. De outro lado, chama a atenção nas coletivas de Fernando Pimentel a presença de diversos assessores que trabalharam, inclusive, na campanha de Pimenta da Veiga (PSDB). Uma fonte petista informou que os cortes irão atingir a todos da antiga gestão, mas que neste momento estão conservando alguns para manter o funcionamento da máquina e também porque o governo tem oferecido salários muito baixos, que não têm atraído assessores. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave