Com gol de Judivan, Cruzeiro empata com o Shakhtar em Brasília

Raposa busca recomeço após perda de peças importantes, entre elas o meia Everton Ribeiro, que sequer foi a campo

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

Nasce um novo Cruzeiro. Se será realmente competitivo e vencedor, como o dos últimos anos, é preciso um pouco de paciência. O time bicampeão brasileiro, de Ricardo Goulart, Lucas Silva, Marcelo Moreno, Egídio, Nilton e, agora, Everton Ribeiro – que deve ter sua negociação com o Al-Ahli, dos Emirados Árabes Unidos, concretizada nesta segunda-feira –, não existe mais. É um recomeço, que passa pelas novas peças contratadas e, também, pelas promessas da base, autor do gol de empate do amistoso deste domingo.

No segundo duelo de pré-temporada, diante dos ucranianos do Shakhtar Donetsk, em Brasília, a equipe mostrou falta de entrosamento e ficou apenas no 1 a 1. Há uma semana, a Raposa tinha perdido para o Londrina.

Os passes errados, que contribuíram para os contra-golpes dos adversários, eram prova da desorganização do time, principalmente, no início do jogo. Em sua estreia com a camisa azul, o chileno Felipe Seymour, parecia perdido. Dos novos nomes do time, Leandro Damião e o camaronês Joel mostraram disposição, embora com poucas chances de gol.

Diante das dificuldades, os jogadores pediam a participação dos cerca de 6.000 cruzeirenses no Mané Garrincha. Assim, aos poucos, o time parecia desenferrujar. Como era de se esperar, o técnico Marcelo Oliveira fez diversas alterações. Eis que o prata da casa Judivan, em seu primeiro lance, apareceu em velocidade para empatar o placar. O colombiano Riascos, esteve no banco de reservas, mas não entrou na partida. O recém-contratado uruguaio De Arrascaeta não viajou para a capital federal. O Shakhtar termina sua excursão pelo Brasil com dois empates, duas derrotas e uma vitória.

Concretização. Enquanto Lucas Silva desembarcava em Madri – ele será apresentado nesta segunda-feira, no estádio Santiago Bernabéu, com toda a pompa de grande estrela –, o Cruzeiro fazia os últimos acertos da venda do meia Everton Ribeiro para o Al-Ahli. Por precaução, o jogador nem entrou em campo neste domingo.

Destaque das duas últimas edições do Campeonato Brasileiro e convocado para a seleção brasileira, Everton Ribeiro deverá render 9 milhões (aproximadamente R$ 27 milhões) ao Cruzeiro, valor referente aos 60% dos direitos econômicos que o clube detém. Na equipe árabe, o meia irá receber R$ 1,14 milhões mensais.

“As negociações evoluíram bastante nos últimos dias, e para evitar qualquer tipo de transtorno resolvemos poupá-lo do amistoso de hoje. Nesta segunda o futuro dele vai ser selado”, se limitou a dizer o supervisor de futebol do Cruzeiro, Benecy Queiroz.

“Infelizmente, está acontecendo (a reformulação). É um processo natural. O clube se interessa e o jogador, também. Temos que ter é criatividade, competência e ousadia para montar um novo time”, disse o técnico Marcelo Oliveira, já conformado com a perda do craque Everton Ribeiro.

Leia tudo sobre: futebol nacionalcruzeiroraposashakhtar donetsk